XVI WORLD CONFERENCE of Regular Masonic Grand Lodges

Grande Loja do Panamá

Organizada pela Grande Loja do Panamá, decorreu nos dias 14 a 17 de Novembro de 2018, a XVI WORLD CONFERENCE of Regular Masonic Grand Lodges, com a presença de cerca de 100 Potências Maçónicas.

A Conferência teve como programa a discussão dos seguintes tópicos:

O papel da Maçonaria e do Maçon individualmente, na sociedade

Os desafios e mudanças no ambiente global em que vivemos fazem a norma e não a excepção. Conflitos armados, violação dos direitos fundamentais, deficiências em questões básicas, como a saúde, alimentação e educação, são cenários pra o qual o Maçon normalmente não se encontra preparado para compreender e enfrentar.

Neste contexto, é absolutamente fundamental que os maçons compreendam a sua participação nestas questões e nos problemas que a sociedade enfrenta por forma a poder formar uma opinião e influenciar positivamente o caminho para a sua solução dentro da sua capacidade de acção.

A formação dos cidadãos é cada vez mais complexa e precisa de uma redefinição da educação em valores cívicos para alcançar uma sociedade mais democrática e com maior coesão social. A educação maçónica contribui para formar pessoas com respeito pela tolerância, participação e liberdade.

Como integrar valores morais e morais e o exercício da vida na sociedade, respeito pelos direitos fundamentais e liberdades, por uma coexistência democrática e pelo respeito mútuo.

O caminho maçónico para a transformação interna do indivíduo

XVI WORLD CONFERENCE of Regular Masonic Grand Lodges

A Maçonaria, através de um estudo fundamentado e crítico da filosofia moral, constitui um guia para o aperfeiçoamento individual visando conseguir um melhor conhecimento das virtudes e das suas melhores práticas, estimulando a exposição livre, discussão ilustrada, imaginação, liberdade de pensamento, e meditação profunda para alcançar suas próprias conclusões e convicções.

Os problemas quotidianos da vida não podem ser abordados sem uma perspectiva transcendental. As abordagens maçónicas em vez de teóricas têm um propósito prático e pragmático, aplicáveis ​​à vida quotidiana do indivíduo.

O maçon procura viver tentando conhecer as leis que o governam, dominando e recriando sua própria realidade, propiciando um novo ambiente no seu próprio ambiente.

Acção maçónica contra a desigualdade

A Maçonaria tem sido historicamente uma ferramenta para a mudança social. Diante da evolução da sociedade no século XXI, a Maçonaria continua a ser uma ferramenta de eleição para analisar os problemas sociais, económicos e culturais da sociedade actual.

A ética e a moralidade maçónicas projectam o Maçon, com o seu sentido humanista, na direcção da perfeição com absoluta liberdade de consciência. Podemos fazer com que a racionalidade do homem conduza à preservação dos valores da justiça, restituindo o equilíbrio natural através da equidade.

A atitude do Maçon diante da violação dos direitos humanos

A nossa percepção sobre que está a acontecer à nossa volta e à escala global é tão importante que pensamos que é importante assumir uma posição e agir.

Stefano Bisi

As notícias na imprensa e nas redes sociais não são optimistas. As notícias sobre violações dos direitos humanos, agressões contra o meio ambiente, a falta de sensibilidade para as desgraças sofridas pelos seres humanos em situações de conflito armado ou de regimes totalitários, inundam-nos diariamente.

Por outro lado, devemos meditar sobre quantas vezes abordamos essas questões na esfera maçónica e quais as acções que derivam dessa consciência pessoal. Como agimos?

Os participantes na Conferência ovacionaram fortemente o Grão-Mestre do Grande Oriente de Itália, o Respeitável Irmão Stefano Bisi, que afirmou. Em Itália respira-se um ar de maçonofobia. Será necessário retroceder aos tempos do fascismo para recordar una situação similar. O parlamento italiano estuda presentemente o promover de uma legislação que declare a incompatibilidade entre pertencer à Maçonaria e exercer cargos públicos, incluindo professores universitários, cargos eleitos, militares, policias ou bombeiros.

Se isto pode ocorrer no coração da Europa, é um alerta de que a democracia e a liberdade no mundo estão em perigo. Hoje somos nós, amanhã podem ser quaisquer outros“, disse.

Recorde-se que recentemente o Parlamento Regional da Sicília aprovou uma Lei obrigando aos registo dos Maçons. Ver Notícia AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *