Esmiuçando a Maçonaria (a Loja)

A Loja Maçónica em acção pratica o que une e afasta o que divide. A vida maçónica é intensa. Lembrem-se: “Onde estiverem reunidos em Meu nome, lá estarei”.

Definição

Blue Lodge

Na Maçonaria, Loja é o Templo onde os maçons se reúnem para os seus rituais e, mais do que um espaço físico determinado, representa o universo.

É a agremiação de Maçons regulares, em número limitado, a partir de sete, dentre os quais três Mestres. O local em que uma sociedade maçónica realiza as suas Sessões e, por exemplo, qualquer corporação maçónica (na realidade, prefere-se falar em Templo para designar o local de reunião, reservando o vocábulo Loja para designar a corporação). No final de cada Sessão, a Loja é considerada fechada, mas o Templo continua aberto, para outras Lojas.

Sete ou mais Mestres Maçons regulares, munidos de documentos comprobatórios dessa qualidade, poderão reunir-se para fundar uma Loja.

Lojas Simbólicas

São todas as Lojas que trabalham ou se dedicam aos graus do simbolismo. Estas Lojas estão ligadas às Grandes Lojas ou aos Grandes Orientes, são também chamadas de Lojas Azuis. Composta de pessoas honradas que se escolheram porque se agradam reciprocamente, uma Loja toma o aspecto de uma família. Vivendo juntas durante muito tempo, estas pessoas têm por finalidade fazer com que desabroche no ser humano a harmonia da razão e do sentimento, e seria faltar tanto a uma como a outro se fossem esquecidas as benéficas emoções de uma camaradagem plasmada de estima e confiança.

Oficinas

Este nome deriva das antigas associações e corporações dos artesãos, quando a Maçonaria era o reduto de trabalho manual; posteriormente, esse trabalho passou a visar o bem-estar social; finalmente, o trabalho foi sublimado, sendo os materiais trabalhados os que compõem o próprio ser humano, sob todos os aspectos, inclusive com o “auto-aperfeiçoamento”.

O Maçom deve retirar de si mesmo as arestas produzidas pelos vícios, como as imperfeições, a desobediência e as omissões. É um trabalho constante, de modo que a oficina maçónica está sempre em funcionamento. A actividade do Maçom não se restringe à frequência da sua Loja, uma vez por semana. Todos os dias da semana são dias de trabalho e de oficina. O trabalho é permanente; em Loja, o Maçom comparece para “recarregar” as suas baterias gastas. A comodidade e a preguiça são males a serem superados; o Maçom está sempre em vigília e à espreita da oportunidade para auxiliar os seus Irmãos e a sociedade. O pecado não está em “fazer”, mas sim em “deixar de fazer”. O desleixo equivale ao atrofiamento.

Estar a coberto

Diz-se que a Loja está a coberto quando a porta estiver fechada, isto no sentido material; “estar a coberto” significa, porém, que no Templo está presente o Grande Arquitecto do Universo, com o seu poder protector que a todos “cobre”.

O importante convívio

Na entrada da Loja, devem ficar esquecidas as preocupações do trabalho e dos negócios, abandonando as realidades da vida em troca de alguns momentos de lazer de ordem intelectual e moral, deixados de lado, momentaneamente, os interesses materiais por importantes que possam ser a fim de se desfrutar da satisfação de um ensino elevado, de uma filosofia na qual o bom-senso se encontra à vontade e onde o prazer de um convívio amigo é só o que realmente tem valor. Uma hora de alegria sadia proporciona uma boa reserva de forças para o labor do dia seguinte. Um dos segredos do Maçom, é que sabe levar a vida pelo lado bom, por isto, na Loja, não existem discussões sobre questões irritantes; apenas trocas de pontos de vista como deve ser entre as pessoas bem educadas, após o que cada qual deve meditar sobre o que ouviu; naturalmente nada de política, pois a paixão política inflama o jogo. Quem se acha possuído pela paixão política é incapaz de compreender a Maçonaria, pois relembram-lhe constantemente: Pratico o que une e afasto o que divide.

A Grande Obra

Por Grande Obra é conhecida a Maçonaria Universal, sem distinção de obediências ou ritos. A Grande Obra é a construção do Templo Social, do Templo Moral e do Templo Espiritual. O Maçom é chamado à ordem, se fizer eco de preocupações mesquinhas. A Grande Obra é a busca da perfeição maçónica, dentro dos preceitos da instituição. Nela se reúnem os Iniciados para trazer o seu concurso à Grande Obra, eterna como o Progresso e sem limites na sua aplicação. Tendo um imenso Templo a construir, os maçons não prostituem a sua Arte sujeitando-a a tarefas profanas; eles têm de, em si próprios, reformar o Homem, universal na sua essência. A inércia vicia e prejudica; o entusiasmo contagia e beneficia.

Planeamento

A vida moderna exige que os actos individuais e públicos, grupais ou económicos, sejam programados. Hoje, a ciência conta com o computador que é o aparelho electrónico eficiente para as programações.

Qualquer entidade, religiosa, cultural, recreativa, científica, etc., deve programar as suas actividades, para evitar o caos. A Maçonaria nada faz sem prévia programação; dentro dos trabalhos modestos de uma Loja Maçónica, o Venerável Mestre somente terá êxito na sua gestão se programar os seus trabalhos; esta programação apresenta partes distintas: programação da sua gestão, que poderá ser anual, consoante o período para que foi eleito, ou abrangendo dois ou mais anos; poderá ser mensal ou semanal, considerando que cada sessão deve obedecer a uma programação específica. Diante desta prática, o Maçom, por sua vez, como reflexo eficaz, deverá programar a sua vida familiar, profissional e espiritual. Toda a programação obedece à experiências passadas, a dos mais capazes e a previsão do que possa advir. Se o mundo reflectisse antes de tomar qualquer decisão, este mundo não seria o acumular constante de perturbações e violências. O Maçom não pode praticar nenhum acto sem antes o ter “reflectido”.

A Sala dos Passos Perdidos

Não podemos esquecer que ao entrar no edifício onde a Loja se localiza, estaremos entrando numa Loja maçónica, não num clube, nem em dependências profanas. Muitos maçons ignoram que a sala dos Passos Perdidos é uma das antecâmaras do templo e o seu comportamento reflecte os hábitos profanos, quando deveria ser um local de respeito e de satisfações, momentos de troca de cumprimentos, de observação, de tratos sobre a próxima entrada em templo, passando pelo Átrio Purificador.

O nome “Passos Perdidos” traduz desorientação, mas apenas inicial, uma vez que de imediato surgirá o rumo certo, em especial quando o Mestre de Cerimónias estender o convite para a entrada no Átrio.

O comportamento do Maçom deve ser preparatório para a entrada no templo; uma preparação educada e consciente, aptos para a purificação no Átrio. O Átrio é a antecâmara do templo, onde o Mestre de Cerimónias conduz os Irmãos para os preparar para entrar no recinto sagrado.

Trabalho de apoio

Cabe a nós, Maçons, o trabalho de apoio constante à Lojas Maçónicas, porque elas são, indubitavelmente, as unidades fundamentais da Maçonaria. É pela Loja bem organizada, bem estruturada, que realiza a sua tarefa realmente à luz da doutrina maçónica em toda a sua plenitude, que teremos condições, não só de fazer uma divulgação, mas de executar a difusão concreta, constante, que se vai consolidando cada vez mais junto à própria sociedade. As Lojas Maçónicas, portanto, devem ser a nossa meta natural de apoio, para que possam não apenas realizar bem o seu trabalho, mas que possam também, explorar todas as possibilidades e potencialidades que carregam consigo, a fim de que atendam aos objectivos para as quais são criadas.

Destacamos que temos também, como maçons, o natural dever de atender em tudo o que for possível às necessidades de Irmãos de outras Lojas de pequeno número de obreiros; reclamam de nós um acompanhamento de apoio, uma acção permanente sobre elas. Cumpre aos maçons sinceros de todas as latitudes se unirem, ajudar-se mutuamente, expandirem a rica literatura maçónica, usar a tecnologia moderna, em suma, trabalharem com entusiasmo a palavra escrita e oral em prol deste nobre ideal e em favor dos que o desconhecem.

Concluindo

A nossa colaboração é modesta; no entanto é válida porque é oferecida com amor fraterno, na ânsia de buscar mais e melhor, para a Glória do Grande Arquitecto do Universo!

P.S.: De que adianta termos voz, se nos calarmos diante das injustiças do mundo? Para que servirão os nossos olhos, caso desviemos o olhar do sofrimento do próximo?

Adaptado de texto escrito por Valdemar Sansão

Artigos relacionados

2 thoughts on “Esmiuçando a Maçonaria (a Loja)

  • Avatar

    A Moconaria é isso mesmo ou pelomenos deveria ser assim.
    Ja nao existe Maconaria. O que existe é cede de poder.

    Reply
  • Avatar

    Gostei do artigo e quase no geral admiro este trabalho pois são muitos anos de lutas dos amigos para chegar onde chegaram e insisto que ela seria o ideal para á conservação do antigo e novo testamento pois o fato de ter todo um ritual para se chegar participar e passar á ser um dos membros está correta pois quando nos nos dirigimos á DEUS em oração é um momento sagrado e o correto também é ser chamado de templo á maneira como as tarefas são destinadas também é importante continuar mantendo á mesma linha do tempo que se iniciou tem tudo para seguir até o fim mais talvez por aceitar á todos de denominações diferentes possa ter enfraquecido está potência pois luz e trevas não combina como os doze apóstolos só um traiu e por trinta moedas então podem até dizer que eu não sei o que estou escrevendo pois nunca fez uma faculdade mais NOSSO PAI DEUS deu o dom de ler observar e ver que todos que conheci direta ou indiretamente são pessoas muito boas com objetivos,trabalhadores,ótimos patrões e dão oportunidades aos seus empregados de crescer e se preocupam quando mais abastados financeiramente em dar emprego com qualidade aos funcionários normalmente são discretos e simpáticos mais exigem que cumpram rigorosamente seus trabalhos só que infelizmente nem todos que entrarão de uns tempos mais recentes tenham á mesma visão e interesse e seguem no mesmo foco existem uns que entraram justamente pelo que Judas valorizou e pelo status de dizer aos amigos que pertence á tal denominação e algumas facilidades de encontrar á porta aberta estes tem uma probabilidade maior de manchar o nome da maçonaria cabe aos mais antigos o direito de um puxão de orelha nestes pois ela tem noventa e cinco por cento de ser á que poderá se manter de pé dentro dos princípios cristão e quanto á política começa dentro de casa o pai fala á mãe distribui as tarefas os filhos se responsabilizam em cumprir cada um á sua na política é igual temos um responsável que passa o que tem que ser feito e o segundo distribui para cada setor as tarefas á ser cumprida e depois sentam todos juntos para saber como está sendo feito o dever de casa e quando todos cumprem rigorosamente o que lhe foi passado á casa com certeza ficará em ordem para prosseguir mais se alguém neste meio fizer de qualquer jeito ou fazer ao contrario do que foi determinado compromete todos mais enfim quem está escrevendo está longe de ser perfeita ao contrario cada dia preciso consertar alguma coisa em mim perante NOSSO DEUS CRIADOR então erros existem sim mais com boa vontade e paciência podemos chegar á ter uma casa equilibrada e boa de se viver em união e paz é o que o mundo precisa e o mal jamais poderá sobreviver onde DEUS está operando á paz para todos e gostei desta matéria obrigado por ter enviado no I MAIL.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *