Maçons da História – Benjamin Franklin

Benjamin Franklin (17.1.1706 – 17.4.1790)
  • Benjamin Franklin
  • Nascido em Boston, Estados Unidos (17.1.1706 – 17.4.1790)
  • Filósofo, político e científico. Figura importante da independencia dos Estados Unidos.
  • Iniciado na Loja “St. John’s” de Filadelfia em 1731.

Filho de uma família de 17 irmãos, os seus estudos limitaram-se ao ensino básico; colaborou com o pai na sua fábrica de velas e sabonetes e exerceu muitos ofícios, marinheiro, carpinteiro, pedreiro e assistente de impressão. Quando adolescente, começou a escrever no jornal fundado pelo seu irmão, sob o pseudónimo “Silence Dogood” (entro em silêncio) artigos críticos para as autoridades da época. Em 1723, estabeleceu-se em Filadélfia, onde, anos depois, começou a sua própria impressora e o jornal “Gazette of Pennsylvania”.

Fez diversas investigações científicas, principalmente de fenómenos eléctricos. Sabe-se que a sua experiência de amarrar a um papagaio, um fio de seda (Publicado em freemason.pt)com uma chave de metal durante um dia tempestuoso (1752) demonstrou que os raios são choques eléctricos, surgindo o pára-raios a partir dessa observação. Inventou um novo tipo de forno, bifocais, humidificador, cateteres urinários flexíveis, nadadeiras, entre muitos outros dispositivos.

Colaborou com o hospital público da Filadélfia e na criação da primeira biblioteca (1731), bem como do primeiro corpo de bombeiros da cidade. Foi um director muito eficaz do correio colonial britânico na América do Norte.

Benjamin Franklin começou na política em 1736, sendo eleito membro da Assembleia Geral da Filadélfia. Actuou como representante das colónias americanas perante a Inglaterra, em Londres, desde 1757 e perante o fracasso das negociações participou activamente na independência dos Estados Unidos. Fez parte da comissão de redacção da Declaração de Independência (1776).

Talvez a sua contribuição mais importante para a independência dos Estados Unidos tenham sido o seu papel de embaixador em França (1776-1785), que contribuiu decisivamente para obter o apoio do rei francês à causa libertária; Benjamin Franklin participou nas negociações do Tratado de Paris (1783) com o qual a Guerra da Independência terminou.

Nos últimos anos, Benjamin Franklin dedicou-se à construção da nação americana; foi eleito governador da Pensilvânia (1785) e participou na elaboração da Constituição dos Estados Unidos (1787).

Ideias soltas

  • Diga-me e eu esqueço, ensine-me e eu lembro-me, envolva-me e eu aprendo.
  • Não ter os seus próprios livros é o auge da miséria.
  • A chave que é usada constantemente, brilha como a prata: não a utilizando, fica baça. O mesmo é valido para a compreensão.
  • Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo sempre será um irmão.
  • Você ama a vida? Não percas tempo, porque é a substância de que é feita.
  • O melhor médico é aquele que conhece a futilidade da maioria dos medicamentos.
  • Depois de três dias, o peixe e os convidados fedem.
  • A felicidade não é gerada por grandes golpes da sorte, que ocorrem raramente, mas por pequenas vantagens que ocorrem todos os dias.
  • Rebelião diante dos tiranos é obediência a Deus.
  • Não troque saúde por riqueza, nem liberdade por poder.
  • As três coisas mais difíceis deste mundo são: manter um segredo, perdoar uma ofensa e aproveitar o tempo.
  • Leis brandas demais nunca são obedecidas; demasiado severas, nunca se aplicam.
  • O que começa com a raiva termina com vergonha.
  • Se você não quiser se perder no esquecimento assim que morrer, escreva coisas que valem a pena ler ou faça coisas que valem a pena escrever.
  • Tome conselhos sobre vinho, mas decida com água mais tarde.
  • A preguiça é tão lenta que a pobreza não leva muito tempo para a alcançar.
  • Esvazie o seu bolso na sua mente, e a sua mente enchê-lo-á.
  • Acredito que o melhor meio de fazer o bem aos pobres não é dar-lhes esmolas, mas fazer com que possam viver sem as receber.
  • Jogando xadrez, podemos aprender: Primeiro, previsão … Segundo, prudência … Terceiro, cautela … E, no final, aprendemos do xadrez o hábito de não desanimar (Publicado em freemason.pt) com as más aparências presentes no estado dos nossos assuntos; o hábito da esperança numa oportunidade favorável e a preservação dos segredos dos recursos.

Antonio A. Franco Crespo

Artigos relacionados

Partilhe este Artigo:

Um Comentário em “Maçons da História – Benjamin Franklin

  • Avatar

    Ensinamentos magnificos para a vida prática tem tido iluminado que não se contenta em usar sua luz apenas para si próprio ,antes pensa tbm em seu semelhante ,em especial nos mais simples! salutem puncts trianguli. ° .

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *