As sete lágrimas de um velho Maçon

Num canto do templo, sentado num banco e a olhar para o Delta Luminoso, um triste e velho Mestre Maçon chorava.

Dos seus olhos, estranhas lágrimas escorriam pelo rosto; sem saber porquê, contei-as – eram sete. Com a vontade de saber a razão, aproximei-me e perguntei: ”fala, Velho Mestre, diz a este Aprendiz o motivo de toda essa dor”.

Ele, suavemente, respondeu-me; “Estás a ver esses irmãos indo e vindo? as lágrimas que viste são dedicadas a alguns deles“.

A Primeira é para aquelas pessoas indiferentes que não valorizam a história, o esoterismo, a liturgia e o ritual, e aqui vêm em busca de distracção; saem normalmente ironizando aquilo que as suas mentes cegas não podem conceber”.

A Segunda, é causada por esses eternos inseguros que pretendem acreditar, contrariando os velhos Maestros, que a expectativa de um milagre os fará alcançar o que os seus próprios méritos lhes negam”.

A Terceira, deve-se aos maus, aqueles que só comparecem à Loja para promover a discórdia entre os Irmãos”.

A Quarta, é para os Irmãos frios e calculistas que sabendo que existe uma Força Espiritual, se tentam beneficiar dela de qualquer maneira, desconhecendo a palavra Amor”.

A Quinta, vai para aqueles que chegam suavemente, com um sorriso e o elogio nos lábios, mas que se pode ver claramente no seu rosto: Eu acredito na Grande Arquitecto do Universo, na Ordem e nos meus Irmãos; mas só se me servirem para alguma coisa”.

A Sexta, é causada pelo fútil, insignificante, que vai para a Loja buscando abordagens onde se refugiar, mas que os seus olhos revelam um interesse completamente diferente”.

E a sétima?

A Sétima, meu querido Irmão, é óptima e desliza suavemente! É a última lágrima; aquela que vive nos olhos do verdadeiro Maçon”.

Que estas lágrimas, Querido Aprendiz, sirvam para lembrar os II:. que se esquecem do que é realmente ser maçon e que há II:.  e tantos outros seres humanos carentes de protecção material e espiritual”.

Adaptado de Ricardo Polo
Director da Revista Maçónica ”Hiram Abiff” – Argentina

2 Comentários em “As sete lágrimas de um velho Maçon

  • Belo texto… de exelente teor reflexivo…
    Sou apenas um leitor/admirador da Ordem…
    Do pouco que ja pude sugar sobre a Maçonaria, tem me ajudado muito na percepção de vida e mundo… GRATO

    Reply
  • Totalmente VERDADEIRO e atual! Quanto desperdício de tempo e oportunidades de melhorar sob todos os aspectos. O que fazer? Melhorar as indicações e entrevistas?Seleção mais apurada? E os Juramentos, como ficam? Dirigentes sem compromisso e incompetentes? Não há objetivos p/serem alcançados? Os mais idosos são respeitados e ouvidos ou são postos de lado? As lágrimas são verdadeiras, muitos decanos devem estar derramando lágrimas de emoção, em ver nossa Instituição não fazer feliz a humanidade!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *