Os maçons tornam-se desnecessários quando…

Uma das situações, talvez a mais dolorosa para um homem, é quando ele se conscientiza de que é totalmente desnecessário, seja no ambiente familiar, no trabalho, na comunidade ou, principalmente, para nós Maçons, na nossa Instituição.

Os maçons tornam-se desnecessários quando…

  • decorrido algum tempo sobre a sua Iniciação no primeiro grau da Ordem, já demonstram desinteresse pelas sessões, faltando constantemente, demonstrando não estarem comprometidos com a Instituição, apesar de terem aceitado a Iniciação e terem feito um juramento solene.
  • ao tempo da apresentação de trabalho para aumento de salário, não têm a mínima ideia dos assuntos dentre os quais podem escolher os seus temas. Simplesmente copiam alguma coisa de um livro e apresentam-no, pensando que ninguém vai notar.
  • durante as sessões, já “enturmados”, ficam impacientes com as instruções, com as palestras ou com a palavras dos Irmãos mais velhos, achando tudo uma chatice, uma tolice que atrasa o ágape.
  • ainda companheiros, começam a participar em grupos para ajudar a eleger o novo Venerável e, não raramente, já pensando seriamente em, assim que chegarem a Mestres, começarem a trabalhar para obter o “poder” na Loja.
  • Mestres, não aceitarem que ainda não sabem nada a respeito da Ordem e acharem que estudar e comparecer ao máximo de sessões do ano é coisa para a administração, para os companheiros e aprendizes.
  • Mestres, ao participarem das eleições como candidatos a algum cargo na Loja, principalmente para o de Venerável, e não forem eleitos, desaparecerem ou mudarem para outra Loja onde poderão ter a “honra” de serem cingidos com o avental de M∴ I∴, que é muito mais vistoso do que o de um “simples” Mestre.
  • já Mestres e até participando dos graus filosóficos não terem entendido ainda que o essencial para o verdadeiro Maçom é o seu crescimento espiritual, a sua regeneração, a sua vitória sobre a vaidade e os vícios, a aceitação da humildade e o bem que possam fazer aos seus semelhantes, e que, a política interna, a protecção mútua, principalmente na parte material, é importante mas não essencial.
  • como Aprendiz, Companheiro ou Mestre, não entenderem que a Loja necessita que as suas mensalidades estejam rigorosamente em dia, para que possam fazer frente às despesas que são inevitáveis.
  • como Veneráveis Mestres, deixam o caos abater-se sobre a Loja, não sendo firmes o suficiente para exercer a sua autoridade; não tendo um calendário com programação pré-definida para um período; não exigindo aos seus auxiliares a consecução das tarefas a eles determinadas, e não se importando com a educação maçónica, que é primordial para o aperfeiçoamento dos obreiros.
  • como Vigilantes, não entenderem que, juntamente com o Venerável Mestre, devem constituir uma unidade de pensamento, pois em todas as Lojas nas quais um ou os dois Vigilantes não se entendem entre si e principalmente não se entendem com o Venerável, o resultado da gestão é catastrófico.
  • como Oradores, nada sabem as leis e regulamentos da Ordem e da sua própria Loja, usando o cargo apenas para discursos ocos e intermináveis.
  • como Secretários, não mantêm em dia os registos da Loja, actas, presenças e comunicações com a Grande Loja.
  • como Tesoureiros, não se mostram diligentes com os metais da Loja, não se esforçando para manter as mensalidades dos Irmãos em dia e não se importando com os relatórios obrigatórios e as prestações de contas.
  • como Hospitaleiros, não estão atentos aos problemas de saúde e dificuldades dos Irmãos da Loja. Quando constatamos que em grande número de Lojas, com uma frequência média de vinte Irmãos, se recolhe um tronco de beneficência demasiado baixo, todos são desnecessários, pois a beneficência é um dever do Maçom.
  • como Chanceleres, não dão importância aos natalícios dos Irmãos, cunhadas, sobrinhos e de outras Lojas. Quando, em desacordo com as leis, adulteram as presenças, beneficiam Irmãos que faltam e não merecem essa atenção.

Quando a Instituição programa uma Sessão Magna Branca para homenagear alguém ou alguma entidade pública ou privada, constata-se a presença de um número irrisório de Irmãos, dando aos profanos uma visão negativa da Ordem, deixando constrangidos aqueles que se dedicaram e se esforçaram para realizar o evento à altura da Maçonaria. Todos estes Irmãos indiferentes, que não comparecem habitualmente a estas sessões, são desnecessários à nossa Ordem.

Muito mais haveria para se dizer em relação aos Irmãos desinteressados da nossa Sublime Instituição. Fiquemos por aqui e imploremos ao Grande Arquitecto do Universo que ilumine cada um de nós, pra que possamos agir na Maçonaria com o verdadeiro Espírito Maçónico e não com o espírito profano, e roguemos ainda, que em nenhuma circunstância, seja na família, no trabalho, na sociedade ou na Arte Real, nos tornemos desnecessários, pois deve ser muito triste e frustrante para qualquer um sentir-se sem importância e sem utilidade no meio em que vive.

Adaptado de Autor desconhecido

Artigos relacionados

Partilhe este Artigo:

4 Comentários em “Os maçons tornam-se desnecessários quando…

  • Avatar

    O artigo tem o propósito de alertar e é uma observação oportuna. E possível também a quem ler, despertar o desejo de ajudar a diminuir tais falhas ajudando qualquer um, se tiver oportunidade, com uma conversa em particular honesta e verdadeira. É sempre a tentativa do comecç de vida nova para os desmotivados.

    Reply
  • Avatar

    Vejo algum entusiasmo nos comentários sobre o artigo, porém, não compartilho dele.
    Como sempre, o dedo em riste que aponta culpados, acaba sempre indicando uma só direção.
    Mostra apenas uma face do problema e creio, como não sabemos o autor e a língua original em que foi escrita, a menos que tenha havido algum problema de tradução, faz-se uma confusão entre “desnecessários” e “desmotivados”.
    É minha convicção de que os postulados apresentados caracterizam, pelo menos em sua maioria, maçons desmotivados.
    Sabemos sim, que em qualquer setor da atividade humana, uma das piores figuras de convivência é o indivíduo “desmotivado”; seja na profissão, no estudo acadêmico, na família, na amizade, no amor e onde queiram mais.
    Sabemos também que, em algumas destas situações, o “desmotivado” torna-se “desnecessário” mesmo!
    Contudo, como seres humanos e, principalmente, como maçons é nosso dever dar oportunidades, lutar para recuperar irmãos perdidos em quaisquer condições.
    Há que se lutar sim, antes de descartar!
    Mormente, porque temos que nos questionar de quem é a culpa desta “desmotivação” antes de taxá-lo de “desnecessário”.
    Quando vemos Aprendizes e Companheiros, mal iniciando a senda maçônica, já desmotivados, podemos rapidamente questionar: de quem é a culpa? Para não me alongar, deixo a questão para vossas meditações. Daria outro artigo!
    Já opinei em comentário sobre o artigo “O Século XXI e a Maçonaria” do Irmão Breno Trautwein que nas Lojas Maçônicas é bastante comum a tétrade evolutiva: interesse, emoção, desilusão e evasão; ou seja, conseguimos despertar interesse no candidato, até fazê-lo sentir emoção na Iniciação, para logo após provocarmos desilusão nos trabalhos e, consequentemente, facilitarmos a evasão (seriam realmente “desnecessários”?).
    Reservaria o vocábulo “desnecessário” para outra situação que considero muito mais grave; muitos motivados, na medida que não encontram repercussão em sua luta motivadora ou vão envelhecendo em idade e na maçonaria, começam a ser relegados a planos de “pouca utilidade”, passando, cada vez mais, a um limbo, onde já não exercem cargos, pouco lhes atribuem de tarefas e pouca paciência demonstram com suas falas, olhando-os como alguém que nada mais tem a oferecer.
    Entristecem, emudecem, começam a sentir a inutilidade de estar presentes e ficam contando o tempo para se tornarem eméritos ou remidos e assim, não terem mais a obrigação moral de frequência.
    Estes sim, acabam sentindo-se e não se fazendo de desnecessários. É só mais um alerta.

    Reply
  • Avatar

    Assunto perfeito que cai com uma “luva” para Irs .´. já desnecessário em L.´.
    T.´.F.´.A.´.

    Reply
  • Avatar

    Muito bom assunto, muito oportuno, e infelizmente pouco compreendido por alguns, sendo que um só que seja, na nossa ordem já é demais.
    Vou enviar para todos d minha R:.L:.
    Obrigado ao autor

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *