Infante D. Miguel – Proibição das sociedades secretas – 1823

Partilhe este Artigo:
d miguel 897uyhj
D. Miguel

Pela Carta de Lei de 20 de Junho de 1823, referendada por Falcão de Castro, no dia seguinte à saída do governo de Mouzinho da Silveira, eram formalmente extintas as sociedades secretas, proibindo-se a adesão dos funcionários públicos a tais associações. Segundo a interpretação dominante, a proibição dizia respeito ao futuro, deixando imunes as adesões passadas. Durante o mês de Julho, são intensas as perseguições aos Maçons, começando as mesmas a atenuar-se já durante o mês de Agosto. Apenas são expulsas duas pessoas do país (Silva Carvalho, que partira antes, e Agostinho José Freire). Mais frequente era a residência fixa fora de Lisboa, sendo abrangidas apenas cerca de três dezenas de pessoas. Pato Moniz é desterrado para a Ilha do Fogo.

Na sequência desta Carta de Lei, é emitida  pelo Chefe do Estado Maior General, Conde de Barbacena Francisco, a seguinte Ordem do Dia:

Nº 7

Quartel General no Paço da Bemposta em o l° de Julho de 1823

ORDEM DO DIA

Determina S. A. o Senhor Infante D. Miguel Commandante em Chefe do Exercito que os Generaes Encarregados do Governo das Armas das Províncias ponhão em execução na parte que lhes toca a Carta de Lei de 20 de Junho do corrente anno, exigindo de to­dos os seus subordinados, a declaração de que trata o artigo 3.° da mesma Lei, que será escripta conforme o seguinte

FORMULÁRIO

Eu abaixo assignado me obrigo a não pertencer des de hoje a nenhuma Sociedade secreta, sujeitando-me, no caso de ter a des­graça de quebrantar esta promessa, ou frequentando as ditas socie­dades, ou allistando-me nellas, á pena imposta no artigo 5° da Carta de Lei de 20 de Junho de 1823.

Quartel de ___, ___ de Julho de 1823

Nome
Posto

Os Generaes, e os Ofíiciaes do Estado Maior de S. A. o Se­nhor Infante enviarão as suas declarações directamente ao Chefe do Estado Maior General; ao qual remetterão igualmente os Generaes das Províncias as que devem receber dos Commandantes dos Cor­pos, e dos mais indivíduos empregados nas Repartições Militares, dentro do prazo determinado na referida Lei.

Chefe do Estado Maior General
Conde de Barbacena Francisco

ordem do dia jghtyt

Artigos relacionados

Partilhe este Artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *