Olívio Dias – Despedida como Grande Ministro de Estado do Supremo Conselho do Grau 33 para Portugal

Olívio Dias
Olívio Dias

É com muita honra que neste dia transmito o meu cargo de GRANDE MINISTRO DE ESTADO DO SUPREMO CONSELHO DO GRAU 33 PARA PORTUGAL.

Disse honra porque o meu sucessor I∴ CARLOS INÁCIO, conhecedor perfeito das obrigações que lhe são acometidas saberá, com sua capacidade organizativa e de trabalho ultrapassar alguma dificuldade que o seu cargo de GARANTE DA LEGALIDADE NO SUPREMO CONSELHO respeitar e fazer respeitar a sua função.

Termino hoje as minhas funções mas quero transmitir (Publicado em freemason.pt)que ao longo da minha carreira no Supremo de 23 anos períodos houve que não foram fáceis para ajudar a manter a coesão e o bom funcionamento da nossa instituição.

Iniciei, com a máxima dedicação, a minha entrada como fundador do Supremo Conselho em FRANKFURT nas bases da NATO na ALEMANHA EM 1993.

Daí para cá foram-me sempre atribuídas funções que procurei desempenhar com o máximo zelo e sinceridade.

Foi-me atribuído o cargo de GRANDE MINISTRO DE ESTADO COM O 1º SOBERANO GRANDE COMENDADOR, O NOSSO SAUDOSO I∴ PISANY BURNAY.

Homem simples, grande conhecedor dos segredos maçónicos do qual obtive excelentes lições de eficiência, humildade, forma de estar bem com todos sem descurar as funções que lhe estavam impostas pelo cargo.

Passou por um período negro da historia do SUPREMO CONSELHO na altura da cisão na CASA DO SINO.

FOMOS “ DESPEJADOS” mas com a sua inteligência e bondade disponibilizou a sua confortável casa onde passou a reunir o SACRO COLÉGIO onde a “MIMI”, sua generosa e grande companheira, nos oferecia a ceia a altas horas da noite durante os nossos trabalhos.

Recordo os elementos que na altura compunham o Sacro Colégio se a memória não me falha:

  • Pisany Burnay – Soberano Grande Comendador
  • José Carlos Nogueira – Lugar Tenente Comendador
  • Olívio Dias – Grande Ministro de Estado
  • Martin Guia – Grande Secretário
  • Agostinho Garcia – Grande Tesoureiro

Entre outros que por vezes eram solicitados para conselhos.

Com a desmedida, desordenada e atribulada dos elementos dissidentes que ocuparam a sede da GLRP também quiseram implementar um novo Supremo Conselho.

Só o trabalho profícuo e as grandes viagens que (Publicado em freemason.pt)Soberano Comendador e sua comitiva, uma vez uns outra outros conseguiram desmascarar e anular por completo as suas intenções.

Foi na Residência que se programou e se implantou a elaboração da 1ª sede na Graça.

Todos metemos mãos à obra e nasceu o primeiro templo independente do Supremo Conselho.

Passados alguns anos refizemos o templo do BAIRRO ALTO Já com o nosso Soberano Comendador I∴ José Carlos Nogueira.

Louvo aqui o grande trabalho desempenhado pelo nosso Grande Inspetor Geral Pires da Costa na construção e decoração do Templo.

O Sacro Colégio sofreu alterações na sua composição introduzindo na sua grande responsabilidade o Nosso I∴ Manuel Almeida como Grande Secretário. Cargo que todos sabem o quanto é difícil desempenhar.

Com o Novo Soberano cimentou-se a nossa posição a nível internacional tende desempenhado as funções condignamente em representações com grande elevação.

Terminado o mandato do ILL∴ I∴ José Carlos Nogueira eleito por unanimidade o nosso ILL∴ I∴ Agostinho Garcia.

Do nosso Soberano Grande Comendador Agostinho Garcia muito teria a descrever e enumerar o quanto fez pelo Supremo Conselho.

Como tesoureiro desempenhou o cargo com o mais alto nível.

Estabilizou a tesouraria e coordenou o equilíbrio financeiro do Supremo Conselho sem lamentações da sua parte colmatando as dificuldades.

Sabemos o quanto ele disponibilizou para colmatar despesas que na altura as verbas eram mínimas para fazer face aos compromissos.

Não vou questionar o que teve e ainda tem em contas de suprimentos.

Não posso também deixar de referir a bondade, disponibilidade e o abnegado trabalho que antes de ser Soberano dispensou ao Supremo Conselho.

Transformou o escritório e casa dele em secretaria e tesouraria do Supremo Conselho durante todos os anos até passarmos para o templo do Bairro Alto.

Franqueou-nos todas as dependência necessárias para segurança dos nossos arquivos.

Finalmente com a sua persistência conseguiu implementar o TEMPLO DE ALVALADE que é um orgulho para todos nós.

As dádivas que concedeu graciosamente para decoração e conforto da nossa sede ficarão para sempre no nosso agradecimento.

Sempre disponível quer no nosso país que a nível internacional criou amizades e ligações históricas que o Futuro Soberano saberá manter, preservar e expandir.

Foi uma honra ter trabalhado com o Meu soberano Grande Comendador Agostinho Garcia.

Quando ao novo Soberano Comendador Manuel Almeida tenho a firme certeza que dará continuidade ao profício trabalho do seu antecessor.

Todos que convivem com ele sabem as qualidades e capacidades de trabalho.

Conheço-o como um homem recto na sua forma de estar na vida, o fabuloso trabalho que desenvolveu ao longo da sua vida em todos os cargos que desempenhou e a participação, muito ativa, nos últimos anos como LUGAR TENENTE COMENDADOR acompanhando o Soberano Agostinho nas deslocações em representação a nível internacional.

A “ rodagem” está feita o valor intrínseco do Manuel sabemo-lo tudo está justo e perfeito para desempenhar o seu ao mais alto nível.

Manuel já sabes que, apesar de reformado das minhas funções estarei sempre À ORDEM “ para te servir naquilo que entenda ou possa ser útil.

Bem haja a todos que me ajudaram a desempenhar o meu cargo ao longo deste 23 anos!

Lisboa 14 de Abril de 2018

Obrigado

Olívio Dias
Past Grande Ministro de Estado

Artigos relacionados

Um Comentário em “Olívio Dias – Despedida como Grande Ministro de Estado do Supremo Conselho do Grau 33 para Portugal

  • Avatar

    MQP
    As grandes Organizações pedem Homens de grande estatura: são as pessoas que as fazem. A Maçonaria deve ser encarada como uma Escola de Virtudes, mas depende deles, da sinceridade do seu discurso.
    Vi há dias 60 episódios sobre a Vida de Simão Bolívar: um estadista exemplar, que leu Voltaire , Rosseau e outros. aos 13 anos.
    Morreu despindo-se do poder que era seu, exaurido de toda a riqueza, porque todo o seu dinheiro foi canalizado para as Independências.
    Tenho o privilégio de conviver com a maioria das pessoas referenciadas pelo I Olivio ( ele naturalmente incluído) e reconheço que a M:. muito lhes deve: saibamos nós, que os seguimos seguir o seu exemplo. Do meu pensamento actual, a M:.tem -me dado tudo, nomeadamente, o meu equilíbrio como homem livre e de bons costumes e como Voltaire direi que o Criador existe e pode ser percebido por nós, mas está para lá da completa compreensão humana.
    Bom fim de semana

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *