Os Grão-Mestres do Grande Oriente Lusitano (GOL) – 1803 até hoje

(Grande Oriente Lusitano e Obediências historicamente relacionadas)

Fernando Lima (Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano)

Grande Oriente Lusitano

O GOL divide-se em várias Obediências:

Maçonaria do Sul, ou Oriente Saldanha

Obediência formada antes de 1834, no exílio liberal, a partir de uma cisão no Grande Oriente Lusitano, existiu até 1849, estando na base da formação da Confederação Maçónica Portuguesa.

Maçonaria do Norte ou Oriente Passos Manuel

Obediência formada em 1834, a partir da Maçonaria do Sul. Existiu até 1850, quando a maioria das suas Lojas se uniu à Confederação Maçónica Portuguesa.

Grande Oriente do Rito Escocês

Obediência formada em 1840, na dependência do Supremo Conselho do Rito Escocês Antigo e Aceito para Portugal. Parte dos seus membros uniu-se em 1869 no Grande Oriente Lusitano Unido. Um pequeno grupo residual persistiu até à morte do seu último dirigente em 1885. Teve como Soberanos Grandes Comendadores:

Grande Oriente de Portugal

Nome adoptado pelo Grande Oriente Lusitano entre 1849 e 1867.

Grande Loja provincial de Portugal da Livre e Aceite Maçonaria da Irlanda, também conhecido como Oriente Irlandês

Obediência fundada em 1842 sob os auspícios da Grande Loja de Dublin, Irlanda. Reuniu Agrupava quatro Lojas, todas com o nome distintivo de «Regeneração». Em 23 de Março de 1872, as Oficinas do Oriente Irlandês fundiram-se numa única, com o nome de Loja “Regeneração Irlandesa”, entrando na comunhão do Grande Oriente Lusitano Unido.

Confederação Maçónica Portuguesa

Obediência formada em 1849 pela transformação da Maçonaria do Sul, à qual se juntaram no ano seguinte a quase totalidade das Lojas da Maçonaria do Norte. Estará em 1867 na base do Grande Oriente Português.

Grande Oriente da Maçonaria Ecléctica Lusitana

Obediência formada em 1853, que desapareceu nos anos sessenta do século XIX. Foi depois reconstituída em Coimbra, em 1875, extinguindo-se em 1896. Em ambos os casos integrou-se no Grande Oriente Lusitano Unido.

Federação Maçónica Portuguesa

Obediência formada em 1863 como dissidência da Confederação Maçónica Portuguesa. É uma das três Obediências que estão na base, em 1869, do Grande Oriente Lusitano Unido.

Confederação Maçónica Progressista de Portugal

Obediência formada em 1864 como dissidência da Confederação Maçónica Portuguesa. A maior parte as suas Lojas juntaram-se no ano seguinte à Federação Maçónica Portuguesa, considerando-se dissolvida. O seu principal dirigente foi:

Grande Oriente Português

Obediência fundada em 1867, pela junção do Grande Oriente de Portugal com a Confederação Maçónica Portuguesa.

Grande Oriente Lusitano

Obediência formada em 1860 a partir da Loja Tolerância, do Grande Oriente de Portugal, reivindicando a herança do Grande Oriente Lusitano.

Em 1869 foi constituído o Grande Oriente Lusitano Unido (GOLU), pela junção do Grande Oriente Lusitano, com o Grande Oriente Português e a Federação Maçónica Portuguesa:

Grande Oriente Lusitano Unido – Supremo Conselho da Maçonaria Portuguesa

A lista dos seus Grão-Mestres é ininterrupta desde 1869 até à actualidade, apesar das dissidências abaixo assinaladas e o facto de a partir de 1984 o GOLU ter assumido a sua designação inicial – Grande Oriente Lusitano (GOL):

Passados 13 anos da unificação, iniciaram-se outras dissidências. A maioria foi de curta duração, pelo que tiveram pouco impacto no GOLU, deram origem a quatro Obediências:

Grande Loja de Portugal dos Maçons Antigos, Livres e Aceites

Formada pela dissidência da quase totalidade das Lojas do Rito Simbólico do GOLU. Durou três anos e alguns dos seus membros reingressaram no GOLU.

Grande Oriente de Portugal

Obediência formada em 1898, dissolveu-se em 1905. A maioria dos seus membros voltou a integrar o GOLU. Teve como Grão-Mestres:

Grande Oriente Português

Obediência fundada em Coimbra pela dissidência de algumas Oficinas locais e a fundação de outras. Ao cabo de dois anos, as Lojas que ainda subsistiam integraram-se no GOLU.

Grémio Luso-Escocês

Nome profano da Obediências formada em 1914, com a cisão, a partir do GOLU, da maior parte do Supremo Conselho dos Grandes Inspectores Gerais do 33º Grau do REAA. A maioria das Lojas integraram-se no GOLU em 1926, persistindo um pequeno grupo de membros que se extinguiu já nos anos 50 do século XX. Teve como Soberanos Grandes Comendadores:

Durante estas dissidências o Grande Oriente Lusitano Unido manteve sempre assegurada a sua continuidade:

Após o 25 de Abril a sede foi devolvida e a legislação condicionante, removida. O GOLU passou a funcionar em Liberdade.

Em 1984 o GOLU assumiu a sua designação inicial – Grande Oriente Lusitano (GOL)

Grande Oriente Lusitano (GOL)

Fonte

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *