Busca da luz que ilumina

Pessoa comum, porém de bons costumes…
Cidadão simples, porém vivendo em liberdade…
Homem do quotidiano, porém desejoso de ver a luz…
Aceite por nós para ser um de nós… Irmão!

Homem profano nem sempre leva vida superficial,

Nem sempre dissolve levianamente a solidez da sociedade!

Não se pode confundir o profano com o diabólico!
Pois o amor é um bem profano que desejo ter!
É um instrumento profano que toco e gosto de tocar!
Minha mãe, minha esposa e minhas filhas são profanas.
E, no entanto, como tantas outras, são maravilhosas.

O Mestre sabe que o homem profano é um caçador:
Ele caça sucessos e progressos no mundo material!
Com valores, o acto profano é imprescindível para o cidadão!
Com virtude, o acto profano é essencial para a sociedade!
Com atitude, o acto profano é fundamental para o mundo!
Com liberdade e bons costumes, o profano é sagrado!

O maçon deve conciliar o profano com o sagrado:
Pois a pessoa é sagrada e profana a um só tempo!
O Mestre é capaz de identificar o divino no profano…
O Mestre é capaz de identificar o profano no divino!

Maçon é apenas um profano iniciado e iluminado.
Profano é aquele que ainda não foi iniciado!
Profano é aquele que deseja ver a luz!
Somos eternamente profanos…

Temos ainda muitas outras luzes para ver!

Joaquim Monte – M:. M:.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *