Perguntas da Esposa / Companheira / Namorada do candidato

“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só: far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idónea”

(Génesis 2:18)

Comportamento social – Alguns cuidados devem ser observados para convidarmos alguém a ser um Iniciado, ou seja, destinado a uma “nova vida” entre Irmãos. Antes do convite ao provável Candidato, deve a Maçonaria saber como ele se comporta diante da sua companheira, diante dos seus familiares; se ele também cumpre os seus deveres para com a Pátria, com o seu trabalho e com a Sociedade, pois é o comportamento do indivíduo frente a tais responsabilidades que desperta a atenção do Maçom para o convite. Aquele que não é cumpridor dos deveres profanos, é evidente que não será útil à Instituição.

Mulher – Depois de Deus, o único ser omnipotente, nas nossas vidas é a mulher. Nascemos do útero de uma, morreremos nos braços de outra. Entre um evento e outro, em nome delas construímos a civilização e os seus destinos. Nunca chegamos a compreendê-las. A natureza, para nosso alívio, poupou-nos a esta missão impossível: cabe-nos apenas amá-las e respeitá-las. O Maçom deve honrar toda a mulher, parente ou não, pois isso diz respeito à moral e aos costumes.

Este respeito não se limita à família natural do Maçom que passa a ser também maçónica, mas a todas as mulheres, tratando-as como um ser humano virtuoso e obra maravilhosa do Criador. A Maçonaria reserva um lugar de destaque à Mulher, especialmente nas obras caritativas, e como nas demais actividades sociais, procurando unir as esposas, filhas e viúvas de maçons.

A esposa / companheira / namorada do Maçom (Cunhada) desempenha um importante papel quando acompanha o seu marido / companheiro / namorado na entrevista.

Principais questões que poderão ser levantadas – Devemos procurar saber o que a esposa / companheira / namorada do Candidato acha da entrada do seu companheiro na Maçonaria. Pois, ele ingressa numa Instituição cuja História ignora, da qual não conhece as origens, da sua organização não tem qualquer noção sendo natural que a mulher coloque questões múltiplas e simultâneas sobre diversas coisas e algumas das principais poderão ser:

  1. O que é Maçonaria?
  2. Qual é a sua finalidade?
  3. O que impede a admissão de mulheres na Maçonaria Regular?
  4. Porquê segredos?
  5. Porquê o Grande Arquitecto do Universo?
  6. O que se fará com a sua religião?
  7. O que se obtém sendo Maçom?
  8. Porquê o tratamento de “Irmão”?
  9. O que é que a Maçonaria combate?
  10. Qual é a importância da mulher/companheira/ namorada de um Maçom?
  11. Como entrar para a Maçonaria e sair dela?
  12. O que significa o beijo entre Maçons?

Vejamos as respostas:

a) O que é Maçonaria?

Espalhada pelos quatro cantos do mundo, albergando as mais diversas classes sociais, tendo por divisa a LIBERDADE, a IGUALDADE e a FRATERNIDADE, a Maçonaria é uma Instituição essencialmente iniciática, filosófica, educativa, filantrópica e progressista. Proclama a prevalência do espírito sobre a matéria, pugna pelo aperfeiçoamento moral, intelectual e social da humanidade, por meio do cumprimento inflexível do dever, da prática desinteressada da beneficência e da investigação constante da verdade, diz uma das suas conceituações.

b Qual é a sua finalidade?

A finalidade da Maçonaria é “cooptar” do mundo profano os “escolhidos” para congregá-los numa única Família, aperfeiçoando o ser humano. A selecção é severa; pois não é fácil seleccionar de entre profanos, aquele que deve preencher um lugar na Ordem. Não basta que um Mestre proponha um amigo seu ou um parente; ele deve colocar acima do sentimento, o interesse da Loja.

c) O que impede a admissão de mulheres na Maçonaria Regular?

A Maçonaria não admite, por tradição, mulheres nas suas Lojas como membros activos. Os seus primeiros integrantes eram profissionais que mantinham as técnicas do ofício, em segredo. Esta fase da Maçonaria é conhecida como “Operativa”, porque os seus membros trabalhavam em construções – eram obreiros. Argumentos não faltam e muitos Irmãos mal sabem ou imaginam o que representaria de problemas o ingresso das suas esposas/companheiras/namoradas nas Lojas. Começando pelos critérios de selecção, passando pelo risco de alguma cunhada (esposa/ companheira/namorada) ser rejeitada pela Loja. Se, além disso, ousássemos aceitar outras, que não esposas, estaria aí armado um problema de drásticas consequências, que poderia gerar discussões e trazer desarmonia para a Oficina.

d) Porquê segredos?

O segredo (compromisso) maçónico, que de má fé e caluniosamente se têm servido os seus inimigos para fazê-la suspeita entre os espíritos inocentes, não é um dogma senão um procedimento, uma garantia, uma defesa necessária e legítima.

e) Porquê o Grande Arquitecto do Universo?

A imposição da fé já ceifou a vida de muitos, nas mais distantes regiões e nas mais diferentes épocas da história do homem na Terra. Ainda hoje há homens que se odeiam e se combatem por causa de um Deus que conhecem por nomes diferentes e que é o mesmo Criador de todas as coisas. Deus só leva em conta a nossa conduta e se amamos o nosso semelhante como a nós próprios. A Maçonaria exige que o Candidato acredite em Deus e que não se julgue no direito de interferir na escolha religiosa de cada um. Isto prova a crença na defesa e no apoio da liberdade individual.

f) O que se fará com a sua religião?

A crença em Deus, instituído pela Maçonaria como Grande Arquitecto do Universo, não significa o surgimento de uma religião. A “profissão de fé” do Maçom é simples: crer na existência de Deus, como Divindade, sem a preocupação de detalhar essa crença. A Maçonaria não é religião, e nenhum Maçom tem a permissão de tentar dissuadir os seus Irmãos das suas crenças. Para reforçar esta regra, a discussão de crenças religiosas é proibida na Loja Maçónica. Ensina-nos o respeito às diversas crenças e consegue transformar-nos a todos em Irmãos, não importando a escolha religiosa de cada um. Uma análise básica da atitude maçónica para com a religião é que, longe de ser uma religião em si, a Maçonaria é o ensinamento que capacita homens de diversas crenças religiosas a se reunirem e permanecerem juntos numa sociedade fraternal. A Maçonaria não apresenta um culto a Deus; ela O tem presente através dos símbolos, sendo o livro Sagrado um deles. O amor fraterno, esse sim, é cultivado, exercitado e positivado. Crer em Deus é amar o seu Irmão, fazer do Iniciado um Maçom. Em suma, os requisitos religiosos da Maçonaria são bastante simples: a crença num ser Supremo e a não interferência na crença do Maçom.

g) O que se obtém sendo Maçom?

A possibilidade de se aperfeiçoar, de se instruir, de se disciplinar, de conviver com pessoas que, pelas suas palavras e pelas suas obras, podem constituir-se em bons exemplos; encontrar afectos fraternais em qualquer lugar em que esteja dentro ou fora do país.

h) Porquê o tratamento de “Irmão”

Os Maçons têm o costume de se tratarem por “Irmãos”, para demonstrarem o carácter fraternal da Maçonaria.

i) O que a Maçonaria combate?

a ignorância, a miséria, a superstição e o fanatismo; o orgulho, a intemperança e o vício; a discórdia, a dominação e os privilégios, pois são flagelos causadores de todos os males que afligem a humanidade e impedem o progresso.

j) Qual é a importância da mulher/ companheira/namorada de um Maçom?

Elas participam quando da entrada do Candidato na Ordem, porque se as mesmas não concordarem, eles não terão entrada.

k) Como entrar para a Maçonaria e sair dela?

Para entrar é necessário ser convidado por um Mestre Maçom, que conheça muito bem o seu carácter, o seu conceito, a sua honestidade e moral. Uma vez aceite será iniciado Maçom – digamos que após determinado tempo – não querendo ou não possa mais frequentar a Loja, por motivos pessoais ou profissionais, esse Irmão simplesmente, solicita o seu afastamento. Sai na hora que quiser, volta na hora que quiser, sem nenhuma restrição.

l) Que significa o beijo entre Maçons?

O beijo fraterno entre Irmãos demonstra afecto e carinho; sem qualquer malícia, é aposto nas faces. O calor do aperto das mãos, o abraço e o ósculo são expressões comuns, que não escandalizam, mas estreitam uma amizade.

Concluindo

A mulher para nós, Maçons, é a maior estrela brilhante neste universo. Tanto é verdade que, quando somos iniciados na Ordem Maçónica, são-nos entregue dois pares de luvas brancas, sendo um par para nosso uso e o outro para a mulher que mais estimamos. As luvas, na Maçonaria, é símbolo de pureza e de candura e também de inocência. Por isso as luvas devem ser brancas. Usadas pelo homem, devem relembrar-lhe a mansidão e a pureza a que está obrigado, e aquelas entregues à mulher simbolizam que o Maçom deve ter consideração pelo belo sexo, presenteando-as não à mulher que mais ama, mas aquela que considera mais digna de ser amada.

A Maçonaria faz-nos sentir que, se quisermos um mundo melhor, devemos começar por melhorar a nós mesmos. O Maçom sabe, por amar a liberdade, que deve sempre expor e nunca impor.”.

Depois de Deus, o único ser omnipotente, nas nossas vidas é a mulher. Nascemos do útero de uma, morreremos nos braços de outra. Entre um evento e outro, em nome delas construímos a civilização e os seus destinos”.

Adaptado de texto escrito por Valdemar Sansão – M∴ M∴

Artigos relacionados

Partilhe este Artigo:

Um Comentário em “Perguntas da Esposa / Companheira / Namorada do candidato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *