Aprender e Memorizar o Ritual maçónico

Um dos problemas que mais frequentemente assola a Maçonaria é um Ritual pobremente desempenhado. Com isto, não quero dizer apenas que as palavras estejam erradas – quero dizer, um Ritual que é monótono e pouco inspirador, que falha em realmente ensinar. O Ritual é frequentemente medíocre e não precisa de o ser; qualquer um pode fazer bem o Ritual, desde que saiba um pouco sobre como deve agir.

Não é difícil, na verdade; é principalmente uma questão de saber como fazer, para além de muita prática. Este artigo destina-se a dar algumas orientações sobre como realizar bom Ritual. Não exige muito tempo, ou qualquer talento particular, apenas um pequeno impulso para se sair bem. Leia e pratique. Com alguma prática, deverá ser capaz de usar estas técnicas com bons resultados na sua Loja. Este mini curso destina-se mais especificamente a lidar com os discursos mais longos, mas na sua maioria é também relevante para pequenos textos; eu recomendo-o aos Oficiais da Loja ou da Grande Loja.

Este trabalho resultou de uma adaptação de uma apresentação que eu preparei para a minha própria Loja; tendo feito isto, imaginei que poderia tentar espalhar estas dicas pelo bem comum da nossa Ordem. (Ressalva: Eu assumo que o leitor tenha algum tipo de livro codificado, com rituais codificados. Se a sua jurisdição não os usa, então terá de fazer adaptações a estas lições).

1: Descobrindo as palavras

O primeiro passo para aprender qualquer Ritual é saber o que se está a dizer! Isto deveria ser óbvio, mas muitas vezes é ignorado, porque os irmãos têm medo de admitir que não conhecem as palavras certas. Não tenha medo de admitir os seus próprios limites – nunca conheci ninguém que tenha sempre todas as palavras certas.

Comece por ouvir alguém dizer o texto, de preferência várias vezes. De facto, deveria ter estado a fazer isso mesmo durante todo o ano anterior, ouvindo o seu antecessor. Ouça com atenção e certifique-se de que entende o que está a ser dito; pergunte caso não perceba (depois da Sessão de Loja, claro).

De seguida, examine cuidadosamente o seu livro codificado (Ritual) e veja o quanto consegue ler. Marque as palavras que não consegue descobrir, ou que não tem certeza – este é o momento para detectar qualquer erro que possa estar a cometer. Seguidamente, fale com um Irmão entendido no Ritual ou com um Antigo Venerável sobre estas dúvidas, lendo o livro lentamente. Faça com que ele corrija qualquer erro e preencha as palavras que não conhece. Tome notas (de preferência não no Ritual), porque seguramente vai esquecer-se das correcções assim que estiver sozinho.

2: Entenda o discurso

Este passo é negligenciado ainda mais frequentemente do que o anterior. Leia o Ritual algumas vezes e certifique-se de realmente o entende. Não basta conhecer as palavras – saiba do que está a falar. Descubra quem são os personagens que estão envolvidos. Mais uma vez, faça perguntas.

Agora, comece a tentar entender o discurso estruturalmente. Qualquer Ritual é composto de componentes, peças separadas ligadas entre si. Por exemplo, uma secção que fale sobre símbolos, poderá conter três parágrafos por símbolo: significado concreto, significado abstracto e propósito. Descubra quais são essas peças – irá usá-las mais tarde.

O passo seguinte é particularmente útil para discursos longos – visualize o texto. Qualquer discurso pode ser pensado em termos de movimentos, lugares, salas, coisas assim. Palavras são difíceis de lembrar em ordem; lugares são fáceis. Um exemplo fácil de entender é a chamada Palestra da Câmara do Meio, que percorre o Templo do Rei Salomão. Não é por acaso – este caminho é facilmente visualizado, sendo um bom exemplo de como aprender o Ritual; é provavelmente por isto que este é o primeiro grande discurso que um Oficial aprende. É por isto que usamos símbolos em primeiro lugar: porque eles são fáceis de aprender e interiorizar. Use-os.

3a: Memorização (nível 1)

Esta nunca é a parte favorita de ninguém; qualquer um pode fazer isto, mas ninguém o acha simples. No entanto, é consideravelmente mais fácil do que parece.

Comece por ler o Ritual repetidamente. Não avance para o próximo passo antes de conseguir lê-lo rapidamente, sem quebras ou hesitações. Leia em voz alta, quando tiver oportunidade. Esta etapa é particularmente importante e é ignorada com mais frequência do que qualquer outra. Não a ignore – é assim que conseguirá ter o seu cérebro e boca treinados para as palavras. Pode parecer tolo, mas é realmente importante – os caminhos mentais usados ​​para falar são distintos daqueles usados ​​para ler.

Agora, comece a tentar aprender frases. Apenas frases. Leia a primeira ou as duas primeiras palavras da frase e tente preencher o restante da memória. Não se preocupe se não puder fazê-lo imediatamente; provavelmente demorará pelo menos 5 ou 10 vezes antes de dizer a maior parte das frases. Encontrará certamente algumas que são mais difíceis – martele-as mais e mais (mas não negligencie totalmente o resto enquanto faz isto). Mais uma vez, chegue ao ponto em que já está razoavelmente bem, antes de passar para o próximo passo.

3b: Memorização (nível 2)

Agora que já domina a maioria das frases, tente passar para os parágrafos. Mais uma vez, alguns serão fáceis e outros difíceis. Tente entender exactamente o contexto de cada frase; porque é que uma frase está a seguir a outra – na maioria dos casos, o Ritual faz sentido. Um parágrafo individual está quase sempre a tentar expressar um único pensamento coerente, em pedaços; descubra o que é esse pensamento e porque todas as peças são necessárias. Mantenha isto até conseguir visualizar a maioria dos parágrafos olhando apenas para as primeiras palavras, ou para a primeira frase.

Finalmente, comece a juntar tudo. É aqui que a análise estrutural no Passo 2 se torna importante. Visualizou o discurso e descobriu como ele se interliga; use essa visualização para ligar os parágrafos. Certifique-se de que percebe porque é que cada parágrafo segue o anterior. Em quase todos os casos, o próximo parágrafo a) continua o pensamento, ou b) passa para um pensamento relacionado. Em ambos os casos, pode facilitar muito a memorização se conseguir entender porque é que flui assim. Convença-se de que este parágrafo tem de “obviamente” estar a seguir àquele, e nunca se esquecerá da ordem.

4: Suavizando

Você está agora no ponto em que recorda praticamente todas as frases escritas e a maioria dos parágrafos, e consegue reconstituir quase todo o Ritual apenas olhando para o livro algumas vezes.

Agora, comece a dizer!!!

Quando está a conduzir; quando está sozinho em casa; praticamente sempre que tiver alguma privacidade, tente dizer tudo em voz alta, com voz completa. Confie em mim, parece muito diferente quando diz em voz alta. Irá descobrir que tropeça mais do que pensa e em lugares diferentes. Algumas palavras acabam por ser mais difíceis de pronunciar do que esperava. Tente algumas vezes.

Comece a tentar fazer isto com frequência – uma vez, até duas vezes por dia. Vai ser difícil no início (e é realmente complicado olhar para o Ritual enquanto está a conduzir), mas gradualmente ficar mais fácil. Quando começar a se sentir confortável, diminua a velocidade, mas não pare. Pratique isto a cada dois dias, depois semanalmente. Não reduza abaixo de uma vez por semana. Se se sentir bem, veja se pode acelerar a sua recitação. (Mas não queira apresentar o Ritual “à pressa” numa Loja aberta – isto é apenas para memorização e treino).

5a: Mentalizando-se

Última parte. Está agora no ponto em que praticamente tem o Ritual memorizado. Agora, o truque é aprender como fazê-lo bem. Quase toda a gente tem uma certa quantidade de medo do palco; nós, as pessoas que gostam de intervir, muitas vezes até o temos ainda mais intensamente do que a maioria. O truque para superá-lo é o controle dos nervos.

Agora que está confortável a recitar o Ritual, observe como o faz. Até agora, não tinha pensado muito nisto; a sua boca está a fazer quase todo o trabalho, com a mente consciente simplesmente fazendo algumas ligações entre os parágrafos. Este é o estado certo para se estar. Sinta como isto se processa e aprenda com isso.

Antes de ir “executar”, faça alguns exercícios básicos de actuação. Faça algumas respirações profundas; concentre-se em não pensar. Eu acho que o ideal é um pouco de meditação leve, mas é preciso um pouco de prática para poder entrar nesse estado quando se quer; por enquanto, apenas se preocupe em ficar calmo. Estar calmo é muito mais importante do que qualquer outra coisa. Se estiver calmo, é improvável que os erros sejam graves ; se estiver tenso, é muito mais provável. Algumas pessoas gostam de exercitar o corpo um pouco, para relaxar a mente; você deve fazer o que melhor funcionar para si.

5b: Actuar (o momento esperado)

Agora a nuance final, que separa o dizer do Ritual meramente competente das coisas realmente boas. Agora que consegue deixar a sua boca falar, comece a ouvir-se a si mesmo. Pense no Ritual novamente, mas não pense nas palavras, pense no que significa. Quais são as partes importantes? Enfatize-as. Como poderá usar o corpo ou as mãos para ilustrar um ponto? Tente falar com a pessoa à sua frente, não apenas “para eles” – olhe-a nos olhos e faça-a entender. Você está a ensinar lições importantes; tente capturar um pouco da intensidade emocional desta importância.

Pense no seu “desempenho” como uma fusão de duas partes. A sua boca está a fornecer as palavras; a sua mente e coração, a emoção. Mais uma vez, nada supera a prática. É para isto que o ensaio realmente deve servir – ter um “alvo” fictício à mão e aprender como realmente fazer passar “a mensagem”. Não se preocupe se achar que precisa mudar a “forma” de vez em quando – aqui e ali precisará de pensar sobre as palavras brevemente, quando mudar de parágrafo ou trabalhar sobre uma frase mais dura. Isso não o vai atrapalhar, contanto que se mantenha situado no que está a dizer; já descobriu porque cada parte leva à próxima, e isto guiá-lo-á quando tropeçar.

Conclusão

Não espere conseguir tudo isto instantaneamente; leva à maioria das pessoas alguns anos para ficarem realmente bons nisto. Preocupe-se em tentar avançar pouco a pouco. Aprenda as transições e peças primeiro – se tiver isto, consegue pode passar facilmente pelo Ritual. Na próxima vez, trabalhe na memorização mais detalhada. Seguidamente, trabalhe em fazê-lo realmente fluído. Depois de algum tempo, chegará ao ponto em que se pode dar ao luxo de “representar”. E, chegado a este ponto, irá descobrir que começa a fazer o tipo de Ritual que a Maçonaria deve ter – tanto comovente como interessante, o suficiente para que o seu destinatário (que é, recorde-se, o seu objectivo) realmente aprenda com o que está a dizer, e o que isso efectivamente significa. E se o fizer mesmo bem, descobrirá que também você entende melhor o significado do Ritual.

Adaptado de texto escrito por Mark Waks
Past Master, Hammatt Ocean Lodge – Saugus, MA

O nosso trabalho ritual é o sangue da vida da Maçonaria. É o que nos diferencia de todas as outras sociedades fraternas e caridosas existentes. Neste ensaio, o I:. Waks revela o que cada actor aprende e que todo Oficial de Loja deve saber. Não há quase nada que se possa acrescentar a esta excelente explicação de como aprender o nosso Ritual.

Se fizer uma tentativa honesta e tiver o cuidado de não saltar para o próximo passo antes de dominar os anteriores, tornar-se-á um ritualista experiente. Irá gostar de fazer o trabalho ritual e, o mais importante, os seus Irmãos serão movidos e aprenderão algo do coração da Maçonaria, a partir das suas apresentações.

Por favor, sinta-se à vontade para copiar este artigo e para o partilhar com os seus Oficiais da Loja.

Fraternalmente seu,

G.L. Dryfoos

Um Comentário em “Aprender e Memorizar o Ritual maçónico

  • vejo isto no rito York…vejo o capelão falar e acompanhei pelo ritual que me foi concedido. `uma maravilha!!! Em minha loja, eu naoneessito de ritual para os graus básicos….mas acima do grau 4…ainda necessito!!!!
    parabéns pela matéria!!!!TFA adalberto

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *