Cathecismo do 2º Grau Maçonico do Rito Escocez (Finais do Sec. XIX)

cathecismo 2 grau reaaP: Sois Comp∴?

R: Sim, meu Ir∴.

P: Como fostes preparado para o ser?

R: Por um modo semelhante ao do primeiro gráo, com a differença que não tinha os olhos vendados, nem o peito descoberto, nem o sapato de chanqueta.

P: Que vos ensinaram quando fostes recebido Comp∴?

R: A letra = G =

P: Que significa essa letra?

R: Geometria, por meio da qual alcançamos o conhecimento da Luz, que resplandece na estrela, onde está a Letra = G =, inicial do principio da Luz, ou Deos forte, = Gibor = Elchiim=

P: Haveis viajado como Comp∴?

R: Meus antecessores viajaram.

P: E como viajaram ?

R: Os que viajaram para o Oriente, foram instruir-se; e os que caminharam para o Occidente foram espalhar a instrucção.

P: Haveis trabalhado como Comp∴?

R: Meus antecessores trabalharam.

P: Onde trabalharam ?

R: No Tabernáculo de Moysés, e no Templo de Salomão.

P: Como a esperança de recompensa anima o trabalho, dizei aonde recebiam os antigos Comp∴ o seu salario?

R: Á entrada da Camara do meio no Templo de Salomão.

P: Como entravam no Templo?

R: Passando pelo famoso Portico.

P: O que notavam ao passar?

R: Duas columnas de bronze, de 18 covados de comprimento e 12 de circumferencia; folhas d’acantho adornavam seus capiteis, decorados com lirios e romãs.

P: Como se chamavam essas columnas?

R: A da parte esquerda = B = e a da direita =J =.

P: Qual é a sua significação?

R: A primeira significa força, e a segunda firmeza.

P: E porque razão tinham esses nomes?

R: Porque aquillo que se alcança com força se conserva com firmeza.

P: Depois de passarem o famoso Portico, aonde chegavam ?

R: Junto da escada de caracol.

P: Encontravam alguma difficuldade em passar adiante?

R: O segundo Vig∴ do Templo os impedia.

P: O que exigia delles?

R: O toque e palavra de passe.

P: E depois de haver recebido esse toque e palavra, o que lhes dizia?

R: Passai – Schib∴ – e subiam a escada.

P: E ahi quem lhes impedia a entrada ?

R: O primeiro Vig∴ do Templo.

P: E com que fim?

R: Para receber delles os signaes d’um Comp∴.

P: E depois de recebe-los o que lhes dizia?

R: Entrai – Jach∴ – e chegavam á porta da Camara do meio a receber o seu salario.

P: Como o recebiam ?

R: Sobre a esquadria, sem receio nem desconfiança: sem receio por estarem certos do direito que tinham para o receberem ; e sem desconfiança, porque tal era o conceito que faziam da probidade de seus mestres, que tomavam o dinheiro sem o contarem.

P: Quaes são os instrumentos ou insignias particulares deste gráo?

R: São três: a esquadria, o nivel, e o prumo, ou perpendiculo.

P: Qual e seu uso?

R: A esquadria serve para formar as esquinas dos edificios; o nivel para conservar sua igualdade; e o prumo para levantar o edifício recto sobre seus alicerces.

P: Esse é seu uso material; mas como nós somos theoricos, e não práticos, dizei-me seu uso simbolico?

R: A esquadria significa equidade; o nivel igualdade; e o prumo rectidão; observando nós estas virtudes, cumpriremos nossos deveres Maç∴.

P: Quaes são as primeiras leis Maç∴?

R: Levantar Temp∴ á virtude, e cavar masmorras ao crime.

P: Que devem evitar os Maç∴?

R: A inveja, a calumnia, a intriga , e a intemperança.

P: E o que devem praticar?

R: A caridade.

P: Como fostes recebido Comp∴?

R: Passando da col∴ B. á J.

P: Repeti vosso juram∴ de Comp∴.

R: Eu .  .  .  .  .  em nome do G. A. D. U. , e pela palavra sagrada que reconheço nesta R∴ L∴ de Comp∴ Maç∴, juro e prometto não revelar a pessoa alguma os mistérios da Maç∴ que me sejam confiados ; juro não os dizer, escrever, pintar, imprimir, ou gravar em caracteres legíveis, em Jeroglificos, ou por maneira tal que possam ser descobertos pelos Prof∴; juro, em additamento a todos os meus juramentos anteriores, não comunicar os segredos do gráo de Comp∴ a Maç∴ algum de gráo inferior. Isto juro solemnemente, sem a menor hesitação, ou reserva mental; e se eu faltar ao meu juramento, quero que meu peito seja aberto, meu coração arrancado e lançado ás chammas, para que convertido em cinza sirva d’exemplo e escarmento a todo o perjuro. Assim o G∴ A∴ D∴ U∴ me ajude, e pelo contrario me castigue sem piedade,

P: Como vos dareis a conhecer?

R: Por meus signaes, toques, e palavras.

P: Qual é o vosso signal?

R: O peitoral, e triple, (e fazendo-os diz) Ao 1°- este é o signal de fidelidade, e exprime a firme resolução de guardarmos nossos segredos dos profanos, que tentem surprehender-nos. Ao 2°- este é o signal d’alavanca e perseverança ; porque levantando a mão do coração ao G∴ A∴ mostramos que com o seu auxilio seremos sempre firmes no proposito de guardar nossos juramentos, Ao 3° – este é o signal penal, e nos faz lembrar o terrível castigo, a que nos submettemos, e que devemos como homens de bem, e Comp∴ Maç∴ soffrer antes que nos rasguem o peito, e nos arranquem o coração, do que revelarmos os segredos deste gráo.

P: Dai-me o toque ?

R: (Dá-o).

P: O que é isto?

R: O toque de Comp∴.

P: Este tem sua palavra; dizei-a pois?

R: Não a posso dar senão por letras; dai-me a primeira.

P: Que significa?

R: Firmeza; era o nome que estava na col∴ do meio dia á entrada do Portico do Templo de Salomão, aonde se reuniam os Comp∴.

Clique na imagem para Ler

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *