O esquadro

square compass bronze hh654er

M:.Q:.I:. (editado), vou falar-te do Esquadro.

Cada oficial da tua Loja usa um colar e pendurada nesse colar há uma jóia que indica a função de cada um. O Esquadro é a Jóia do V:.M:. e é também sobre o Esquadro que os Maçons iniciam o seu caminho na Maçonaria, foi dele que partiste quando deste os teus primeiros passos como maçon..

Se a primeira qualidade que procuramos num profano que queira ser admitido nos nossos Mistérios é a Rectidão, que a sua vida tenha sido um exemplo dessa rectidão e elevação moral, é sobre a sua poderosa representação simbólica, o Esquadro, que entramos Templo pela primeira vez enquanto maçons. Foi sobre esse símbolo que começou a marcha de todos nós, como nos foi também transmitido pelo I:. 2º V:. no dia da nossa Iniciação, quando estamos entre Colunas imediatamente a seguir a termos prestado o nosso Juramento de Aprendiz Maçon, pelas palavras que lê do Ritual de Aprendiz:

Meu Irmão, o Esquadro, o nível e a perpendicular são sinais de reconhecimento para o Maçon. Peço que te mantenhas bem direito, com os pés em ângulo recto unidos pelo calcanhar. Agora dás um passo na minha direcção com o pé esquerdo e junta-lhe seguidamente o calcanhar direito, formando um ângulo recto. É o primeiro passo na Maçonaria

Antes de outra coisa qualquer, é o Esquadro que nos deve definir. Por isso colocamos os pés em esquadria antes de iniciar a Marcha. Por isso colocamos os pés em esquadria quando nos colocamos á Ordem. Por isso colocamos os pés em esquadria quando formamos a Cadeia de União, que ainda não viste mas da qual já fazes parte. Por isso fazemos um Esquadro com o braço quando desfazemos os sinais que identificam o Aprendiz, o Companheiro e o Mestre. Por isso marchamos em ângulos rectos na Loja Simbólica no R:.E:.A:.A:..

O Esquadro é o primeiro símbolo que o Aprendiz conhece, e é a Jóia que identifica o V:.M:., remete-nos para a verticalidade nas acções, a justeza nas opções. O Esquadro não dobra, não verga, não mente.

Do Aprendiz mais novo de uma Loja ao seu V:.M:., o Esquadro é o primeiro elo que nos une e o único que está sempre presente em todas as curvas do caminho do maçon, até ao fim da sua vida. O que define, para mim, os maçons, é isso mesmo, viver pelo Esquadro. O maçon assenta no Esquadro. Assenta as suas pernas, as colunas que sustentam o seu Templo físico e assenta a sua vida. Ser leal ao Esquadro, sempre, é o desafio permanente do Maçon. E para mim, ser leal ao Esquadro não é ser bonzinho, ser um gajo porreiro ou fazer jeitos aos amigos e conhecidos. É ser recto, valente e justo. Honrar juramentos e compromissos. É ter a coragem de levar uma vida justa. É decidi-lo todos os dias, pela manhã e recordá-lo pela noite.

E como a nossa simbólica é a da construção, o melhor exemplo, para mim, dessa justeza, é precisamente o da utilização do esquadro para aferir da cubicidade da pedra que estamos a trabalhar. Se o esquadro e a pedra estiverem justos, então o trabalho está bem feito. Não cabe entre o esquadro e a pedra um fio de cabelo, não há irregularidade, então o trabalho está justo e perfeito.

E o Esquadro está presente sempre, não só quando estamos parados e erectos, assentando num angulo recto e fazendo outro, maior, cujas rectas são o nosso corpo erecto e a superfície da Terra, está também enquanto marchamos, também enquanto circulamos.

Diz-nos isso que também a nossa marcha deve ser justa, sempre assente no Esquadro. Que as nossas acções devem ser justas, assentes no Coração e na Razão, que poderiam ser os dois braços do Esquadro. Que o nosso caminho na Terra deve ser sempre assente no Esquadro. Essa deve ser a Luz que reflectimos no mundo lá fora, esse é o exemplo que devemos ser para os outros, testemunhado pelo que decidimos fazer todos os dias. E não apenas quando é conveniente, a Virtude não é apenas para quando dá jeito. Parado ou em movimento, deve sempre o maçon assentar a sua existência no Esquadro. Esse é o nosso mínimo denominador comum, essa é a nossa responsabilidade, o que de nós se espera e o que esperamos uns dos outros.

Sermos o Esquadro, antes de outra qualidade qualquer, esse é o desafio do Maçon. Sermos filhos, irmãos e maridos sobre o Esquadro. Sermos, pais, cidadãos e profissionais sobre o Esquadro. E finalmente morrermos um dia dignos de, no nosso epitáfio, figurar um Esquadro, descansando nós finalmente não já sobre o Esquadro, mas antes sob o Esquadro.

Se for sob um Esquadro entrelaçado com um Compasso, melhor. Mais um vez M:.Q:.I:. (editado), sê muito bem vindo a esta Loja que te recebe para a Maçonaria em todo o Mundo.

Disse.

José Eduardo Sousa, V:.M:. da R:.L:. Alengarbe – 6014, a Or:. de Albufeira

Nota do Autor:  “a prancha reflecte apenas e só a minha opinião sobre os assuntos tratados, não implica uma visão da obediência ou sequer da minha Loja, sendo apenas e só a minha opinião pessoal”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *