Uma reflexão sobre a presença dos Irmãos em Loja

chair decoration 3khu677

Uma viajem com tempo e (des)interessante

Levo bastante tempo a reflectir sobre a não presença de alguns Irmãos, quer em Loja, quer nas reuniões virtuais, meramente de caracter fraternal em tempo de adaptação a uma nova realidade em que vivemos…confinamento. A pergunta que me faço é só uma: Porque é que o Irmão não vem tão assiduamente às sessões tendo ingressado com tanto interesse?

Todos sabemos que a participação nos trabalhos é contínua e as faltas poderão atrapalhar os ensinamentos na vida Maçónica. Penso que poderão ser vários os motivos, mas o maior deles poderá ser sem dúvida falta de motivação. Se a Maçonaria, na sua essência, não conduzir os Neófitos ao que eles esperavam que seria a essência maçónica antes de serem iniciados, poderá levar de forma legítima ao seu desinteresse na Ordem ou na Loja.

“Já eras Maçom antes de o ser”

É uma frase bonita e enche-nos a alma ouvi-la quer por um Companheiro, Mestre, até mesmo por um Venerável Mestre ou mesmo Grão-Mestre. Na minha humilde opinião devemos fazer jus a esta frase, no sentido em que, se um homem não tem as qualidades mínimas para ser Maçom, não deveria ser apresentado a uma Loja Maçónica, evitando aglomerados em massa de iniciações, para um fim meramente estatístico de número de obreiros na Loja. Maçonaria não é uma instituição de correção.

Ser educado, ter tolerância, ser estudioso e meticuloso nas suas ações, ter capacidade para a aprendizagem… Todas estas qualidades de nada servirão e não será um bom Maçom quem não tiver “anexado” o espírito Maçónico, a essência do que é a Maçonaria no seu todo.

Assim como o Silêncio é um ótimo condutor para a nossa reflexão interior, o Tempo é uma gestão muito pessoal e cada Irmão tem o seu “relógio biológico”. Como já referi, os trabalhos são contínuos mas não têm um prazo de entrega, ou não seríamos homens Livres e de Bons Costumes.

O (des)interesse não deverá ser resultado de mais ou menos conhecimento do Rito ou de suas simbologias.

Maçonaria é uma viagem e o mais importante numa viagem não é o destino. O destino já sabemos qual é. O mais importante numa viagem é o que vamos encontrando pelo caminho e cada um faz a viagem a seu tempo. Tempo para assimilar o que de bom lhe traz o percurso, ou disfrutando das paisagens com tempo de as poder comtemplar, e de as partilhar com quem se vai cruzando no seu percurso.

Pedro Carneiro

Artigos relacionados

4 thoughts on “Uma reflexão sobre a presença dos Irmãos em Loja

  • Avatar

    Meus Irmãos,
    MAÇONARIA SE APRENDE PELO OUVIDO!!!
    PORTANTO, a presença em LOJA é que vai nos enriquecer no conteúdo, e no PROCEDIMENTO Maçônico
    Os Irmãos devem ser nosso espelho para a vida profana e maçônica

    Reply
  • Avatar

    poder comtemplar…

    Assim como o Silêncio é um ótimo condutor para a nossa reflexão interior…

    Nos laços da fraternidade somos unidos, compreendo a falta que irmãos fazem, mas não compreendo o porque daqueles que notam sua ausência em loja presencial ou virtual não tomam do telefone e partilham uma palavra e ajustam um café para reencontro e conversa…. só se é irmão no templo?

    Reply
  • Avatar

    Sém dúvida,um têma no minimo despertador,e digno de reflécçäo…
    Gráto.bém hája.

    Reply
  • Avatar

    muitos irmãos não estão compromissados com a causa maçônica; quando colocam outros interesses na frente das reuniões. Esquecem de seus juramentos feito na iniciação, esquecem da maior honra dos maçons, que é a sua palavra acima de tudo.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *