Dia do Orgulho e da Visibilidade Maçónica

pride day 3uyt655tr

15 de Agosto de 2020, foi o Dia do Orgulho e da Visibilidade Maçónica aqui em Illinois. O evento foi patrocinado pela Grande Loja de Illinois e pela Prince Hall Grande Loja de Illinois. As Grandes Lojas pediram a todos os Irmãos que os ajudassem a “celebrar usando roupas (por exemplo, t-shirts, pólos, chapéus, etc.) que exibissem de forma proeminente a nossa insígnia do Esquadro e o Compasso Maçónicos enquanto desfrutavam das suas várias actividades durante o dia. É a nossa forma colectiva de “Deixar a Nossa Luz Brilhar” nas nossas comunidades locais por todo o estado. Além disso, mostra o nosso orgulho pessoal pela Experiência Única de ser membro da nossa antiga e honrada fraternidade. ”Embora eu entenda e apoie o conceito que as Grandes Lojas estão a promover com esta actividade, não posso deixar de perguntar: “O Dia do Orgulho e da Visibilidade Maçónica não deveria ser todos os dias?

Se as Grandes Lojas aqui em Illinois têm de organizar um evento para promover a Visibilidade Maçónica, isso diz-me que temos um problema maior. Alguns dos nossos problemas de visibilidade decorrem do facto de que muitas Lojas não estão a fazer nada na comunidade que possa atrair outros homens para se juntarem. Pré-covid, estou a falar de coisas que sejam divertidas, ou pelo menos que chamem à atenção para si mesmas, como gerir um tanque de imersão num evento da comunidade local, ou andar de bicicleta pela cidade com suas camisetas da Loja, ou até mesmo fazer uma festa com boa educação num restaurante popular. Se quisermos ser visíveis, precisamos de fazer coisas que vão atrair a atenção para nós de uma forma positiva.

Eu percebo que o Covid tornou impossíveis a maioria das opções acima. De que outra forma chama à atenção para si mesmo? Como é que se destaca? Claro, usar roupas com o Esquadro e o Compasso ajuda, mas já se deveria estar a fazer isso o máximo possível, não apenas num dia por ano. Eu tento destacar-me na minha pequena comunidade de St. Joseph desta forma. Todas as noites de sessão da Loja de St. Joseph, visto um fato. Não importa se é nos dias mais quentes de Verão ou nos dias mais frios do Inverno. Eu visto um fato e tento encontrar-me com outros irmãos para uma refeição num restaurante local antes da nossa sessão. Porquê? Porque se se está bem vestido, geralmente chama-se à atenção, e quando me perguntam por que estou assim vestido, tenho a oportunidade de falar sobre como sou actualmente o Venerável Mestre da Loja Maçónica e dar fazer uma breve descrição sobre o que é a Maçonaria.

Precisamos de parar de ter medo de falar sobre a Maçonaria. Aqui em Illinois, o Manual do nosso trabalho maçónico (Monitor of Standard Work) não está codificado. A única coisa que é omitida são os modos de reconhecimento. Eu vi estes Manuais à venda em lojas de antiguidades locais. Se alguém me fizer uma pergunta sobre a Maçonaria, desde que não pergunte sobre os modos de reconhecimento, responderei da melhor maneira possível. No entanto, direi que recentemente me deparei com uma definição de Maçonaria que, na minha mente, realmente resume o que somos. Acaba com o clichê: “Nós fazemos homens bons, melhores“. A definição é de co-autoria de T.S. Akers e Robert Davis de Oklahoma. É a seguinte:

“A Maçonaria é um rito iniciático para homens que ensina um sistema de ética e moralidade que visa colocá-los no caminho da masculinidade madura. Este sistema de moralidade é apresentado aos iniciados por meio de graus que são peças ritualísticas. A intenção é despertar os iniciados para as ideias mais elevadas da masculinidade para que possam tornar-se bons modelos para a sua família, a sua comunidade e os seus amigos”.

Acho que engloba perfeitamente o que a nossa fraternidade faz. O que mais gosto nela é que não afirma que coloca os homens no caminho para a masculinidade madura, mas sim que pretende fazer isso. A diferença é que a escolha é sua. Comparo o ideal de masculinidade madura com a ideia da pedra perfeita. É algo que requer trabalho, todos os dias, para o resto da sua vida. Portanto, você pode optar por trabalhar para se melhorar a si mesmo, usando as ferramentas da Maçonaria, ou pode optar por não o fazer. Eu gostaria de pensar que todo o homem que entra na Fraternidade está a trabalhar para se melhorar, mas eu sei que não é assim.

Na minha opinião, muitos Maçons parecem esquecer que ser Maçom é uma ocupação de 24 horas, 365 dias por ano. Ela não começa quando se entra no Templo de uma Loja e não termina quando se sai dele. Representamos a nossa fraternidade em todos os momentos. A maneira como agimos em relação aos outros na vida quotidiana ou mesmo nas redes sociais deve ser baseada nas lições que aprendemos nos nossos graus. Devemos encontrar-nos no nível e separar-nos no esquadro, não apenas com outros Maçons, mas com a comunidade como um todo. Se estivermos a agir como o idiota da aldeia, estamos a manchar a Maçonaria.

As nossas acções são a maior ferramenta de recrutamento que temos, ou o maior impedimento para o recrutamento que temos. Se se está sempre a aceder à página da comunidade no Facebook e a discutir com o resto da comunidade, estamos realmente a ajudar a recrutar mais membros? Se formos conhecidos como sendo Maçons, não estaremos fazendo absolutamente nenhum favor à nossa Loja ou à fraternidade. Criar uma imagem mais negativa da Maçonaria, além de todas as teorias da conspiração com as quais já temos de lutar, é o oposto do que o Dia do Orgulho e da Visibilidade Maçónica está a tentar realizar. Se você está a fazer isto, faça um favor ao resto da fraternidade e demita-se. Nós não o queremos e não precisamos de si.

Precisamos de enfatizar que todos os dias são o Dias do Orgulho e da Visibilidade Maçónica, especialmente se estivermos a ostentar um esquadro e um compasso ou a representar a Fraternidade para o público em geral. Lembremo-nos de que somos uma representação directa da Fraternidade e ajamos em conformidade. Se quisermos ser visíveis, precisamos de permitir que as nossas acções falem mais alto do que as palavras. Precisamos de mostrar à nossa comunidade, por meio do reconhecimento de líderes comunitários importantes, apoio a instituições de caridade locais e apoio aos esforços que a comunidade faz para se melhorar, mas, o mais importante, por meio das nossas interacções positivas com o público em geral, de que somos uma organização feita de homens maduros trabalhando para tornar o mundo um lugar melhor. Na minha opinião, é isto que me deixa mais orgulhoso por ser um Maçom, porque se estivermos a fazer isto correctamente, estaremos a fazer brilhar a nossa luz permanentemente.

Darin A. Lahners

Tradução de António Jorge

Fonte

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *