A posição da Grande Loja Unida de Inglaterra sobre a Maçonaria Feminina

maçonaria feminina

Segundo um artigo publicado na Página da Grande Loja Provincial de Nottinghamshire:

“O assunto das mulheres e a Maçonaria é complexo e sem uma explicação fácil. Tradicionalmente, apenas os homens podem ser Maçons na Maçonaria Regular. Muitas Grandes Lojas não admitem mulheres porque acreditam que isso quebraria os antigos Landmarks Maçónicos. No entanto, existem muitos órgãos Maçónicos não convencionais que admitem homens e mulheres ou exclusivamente mulheres. Além disso, há muitas ordens femininas associadas à Maçonaria regular, como a Order of the Eastern Star, a Order of the Amaranth, o White Shrine of Jerusalem, a Social Order of Beauceant e a Daughters of the Nile.

Reconhecimento

A Grande Loja Unida da Inglaterra (UGLE), e outras, concordam com esta tradição regular (incluindo a Grande Loja Provincial de Nottinghamshire), não reconhecendo formalmente qualquer corpo Maçónico que aceite mulheres. A UGLE declarou em 1998 que duas jurisdições femininas Inglesas são regulares na prática (a The Order of Women Freemasons e a The Honorable Fraternity of Ancient Freemasons), excepto pela sua inclusão de mulheres, e indicou que, embora não formalmente reconhecidos, estes órgãos podem ser considerados parte da Maçonaria, quando se descreve a Maçonaria em geral. Na América do Norte, nem a “corrente principal” da Maçonaria, nem a Maçonaria do Príncipe Hall aceitam mulheres, mas têm corpos separados associados, que são “Maçónicos” em carácter, mas não Maçónicos no seu conteúdo.

The Honourable Fraternity of Ancient Freemasons

christine chapman jhgy675ty
Christine Chapman – Grã-Mestra da Honourable Fraternity of Ancient Freemasons

A história da Honourable Fraternity of Ancient Freemasons, em particular, não pode ser descrita sem referência à história do movimento das Mulheres na Maçonaria em geral. Não podemos fazer melhor do que citar um panfleto publicado em 1988 por Enid Scott, uma ex-Grã-Mestra Assistente da Ordem, intitulado “Mulheres na Maçonaria”.

Foi em 1902 que a primeira loja de Co-Maçons foi formada em Londres e essa importação de França desde logo se tornou uma bola de neve. Mas, em poucos anos, alguns dos seus membros ficaram inquietos com o caminho que estava a ser seguido pelo corpo governante em Paris. Eles sentiram que as suas antigas formas estavam em perigo e que um afastamento do seu estilo tradicional estava a ocorrer; a história estava a repetir-se, pois era uma situação semelhante há que tinha ocorrido na Maçonaria regular em meados do século XVIII. Vários membros renunciaram à Ordem e formaram eles próprios uma Sociedade da qual emergiu a Honourable Fraternity of Antient Masonry, embora ainda como uma associação de homens e mulheres.

Em 5 de Junho de 1908, foi constituída uma Grande Loja com um Reverendo Irmão como Grão-Mestre. Ele foi o primeiro e único Grão-Mestre do sexo masculino e ocupou o cargo por quatro anos antes de se aposentar por problemas de saúde. O seu sucessor deu início à linha contínua de Grão-Mestres do sexo feminino. Aproximadamente dez anos depois, foi decidido restringir a admissão apenas a mulheres, mas permitir que os membros homens existentes permanecessem. Num período muito curto, o título foi alterado para Order of Women Freemasons, mas a forma de tratamento como ‘Irmão’ permaneceu; o termo ‘Irmã’ foi descontinuado logo após a formação em 1908, pois foi considerado impróprio para membros de uma Fraternidade de Maçons.

É também de algum interesse referir que a história se repetiu novamente, no sentido de que o Arco Real teve uma divisão nas suas fileiras, mais ou menos nas linhas dos Antigos e Modernos anos antes da União em 1813. Um grupo dos seus membros desejava incluir o Arco Real no sistema, mas não conseguiu obter autoridade da sua Grande Loja, o que os levou a separar-se e a formar a primeira Loja de outra Ordem – The Honourable Fraternity of Ancient Freemasons; duas Grandes Lojas a funcionar em paralelo com um desempenho quase idêntico, mas neste caso o tempo de uma União, semelhante ao que ocorreu em 1813, ainda está para vir”.

A Honourable Fraternity of Ancient Freemasons (HFAF) foi fundada em 1913 e a primeira Grã-Mestra foi Elizabeth Boswell-Reid, que ocupou esse cargo entre 1913 e 1933;  foi sucedida pela sua filha, Seton Challen.

Para mais informações, por favor visite https://hfaf.org/

Fonte

O artigo acima reproduzido remete para um outro, intitulado “Mulheres Maçons”, publicado na Página da Grande Loja Unida de Inglaterra, que refere:

As Mulheres Maçons reúnem-se por todo o país há mais de 100 anos.

Existem duas Grandes Lojas apenas para mulheres: A Order of Women Freemasons e a HFAF – Maçonaria para Mulheres. Ambas seguem exactamente as mesmas cerimónias e usam os mesmos paramentos que os Maçons homens, e frequentemente trabalham em estreita colaboração em projectos comunitários e de caridade.

A Grande Loja Unida de Inglaterra tem uma excelente relação de trabalho com ambas as Grandes Lojas. Os membros da Maçonaria para Mulheres participaram no Open House London em 2019 (e em 2020), a fim de mostrar a Maçonaria feminina, enquanto ambas as organizações participam em Feiras para Caloiros em todo o país, como parte do programa Universities Scheme.

The Order of Women Freemasons

Zuzanka Daniella Penn
Zuzanka Daniella Penn – Grã-Mestra da Order of Women Freemasons

A Order of Women Freemasons é a maior e mais antiga organização Maçónica para mulheres neste país e trabalha nos moldes da Maçonaria masculina regular. Foi constituída como a Grand Lodge of the Honourable Order of Ancient Masonry em 1908 e adoptou o título de “Order of Women Freemasons” em 1958.

A Ordem originalmente incluía homens e mulheres, mas no início dos anos 1920, foi tomada a decisão de restringir a admissão apenas a mulheres e em 1935 era já uma organização exclusivamente feminina. A sede da Ordem está situada em Notting Hill Gate, Londres, desde 1925 e é administrada pela Grã-Mestre e o seu Secretariado, que assumem as suas funções de forma voluntária.

Podem aderir mulheres de qualquer raça ou religião – devem ter 21 anos ou mais, ter bom carácter e acreditar num Ser Supremo. A Ordem tem aproximadamente 4000 membros em mais de 300 Lojas Maçónicas espalhadas pelo Reino Unido e no exterior, que se reúnem no mínimo quatro vezes por ano. A Ordem também encoraja activamente todas as membros a ingressarem nos graus mais avançados.

A Ordem tem também a “Pembridge Society”, um grupo para novas e jovens maçonas que se reúnem para progredir nos seus conhecimentos Maçónicos. Prevê-se que grupos semelhantes sejam constituídos por todo o país.

A Ordem está activamente envolvida com a UGLE na promoção do programa Universities Scheme e, nos últimos anos, tem trabalhado ao lado dos membros da UGLE em Feiras para Caloiros(as) nas Universidades de toda a Inglaterra e País de Gales, de onde se originaram novas membros para muitas das suas Lojas.

Para mais informações, por favor visite https://www.owf.org.uk

Fonte

Traduções de António Jorge

Artigos relacionados

One thought on “A posição da Grande Loja Unida de Inglaterra sobre a Maçonaria Feminina

  • Avatar

    A maçonaria é uma organização excencialmente masculina e através dos anos e, sorrateiramente as mulheres usando de subterfúgios tais como, assistência social, ágapes etc começaram a aspirar a entrada para a maçonaria criando corpos espúrios e ganhando terreno até os nosso dias.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *