A Igreja Católica opõe-se à construção de um edifício doado pela Maçonaria nas Filipinas

Partilhe este Artigo:
edifício dumaguete
Maqueta do edifício a ser contruído em Dumaguete

Abraçar a fraternidade universal é complicado. Com as recentes boas intenções de ‘Fratelli Tutti’ ainda presentes, a Igreja Católica colidiu com a sua própria realidade fundamentalista em Dumaguete. Quando a primeira pedra do grande obelisco planeado, foi colocada há três semanas no Parque Manuel Quezón desta cidade filipina de Dumaguete, nada previa um conflito. O monumento constitui uma doação pessoal à cidade de um Mestre Maçom nativo, o Prezado Irmão Ramas Uypitching, que financiará integralmente o projecto.

Depois de concluída, a propriedade será transferida para o município, que exercerá o controle sobre o seu uso. Este edifício, que será o mais alto da cidade e oferecerá vistas únicas, tornar-se-á um foco de atracção turística. Não é um obelisco típico, mas sim um edifício multidisciplinar de 18 andares, com espaços que a cidade pretende dedicar à promoção do seu património, da cultura ou das artes.

Conforme relatado pela Agência de Informação das Filipinas, o Presidente da Câmara,  Felipe Antonio Remollo presidiu à cerimónia e um padre católico da catedral próxima procedeu à bênção durante o lançamento da primeira pedra. O querido Irmão que promove o projecto com os seus fundos pessoais dedicou o projecto a Deus: “Dediquei a minha vida a Si, como um verdadeiro e fiel cristão. Agora, sinto que é hora de deixar um legado, não só para nossa querida irmandade, uma irmandade de homens sob a paternidade de Deus, mas porque amo Dumaguete“, disse ele.

Nas últimas horas, a Igreja Católica deu uma volta copernicana à história deste obelisco. De acordo com a Agência Filipina de Notícias, o Conselho Pastoral da Catedral em conjunto com 38 outras organizações da Igreja Católica Filipina pediram ao Governo das Filipinas que pare a construção. O vigário judicial da diocese, Monsenhor Gamaliel Tulabing, explicou ao jornal Licas que “um obelisco é uma estrutura pagã” – os meios de comunicação locais não demoraram a lembrá-lo do da Praça de São Pedro – mas o mais relevante é que ele se opõe à Maçonaria pelo seu carácter “não sectário” (sic), que considera todas as religiões por igual. Fratelli Tutti?

obelisco na praça de s. pedro
Obelisco no centro da Praça de S. Pedro

A oposição da Igreja Católica à construção deste monumento e o seu ataque à Maçonaria por ser uma instituição que abarca todas as expressões da espiritualidade humana abriu o debate da opinião pública na província filipina de Negros Oriental. O Negros Chronicle argumentou em editorial:

José Rizal, venerado herói nacional, era Maçom e a sua estátua está erguida no centro do Parque de Quezon em frente à igreja católica. Mas foi chamado de herege e desprezado pelos frades. Já não existem os dias dos frades e os Maçons não são hereges. Se a estrutura de um obelisco é a peça central do monumento na Praça de São Pedro no Vaticano, porque é que esta torre não pode ser construída dentro do Parque Quezon, propriedade do governo? Será que a igreja ou o clero tentarão influenciar a decisão do governo municipal sobre onde construir a torre Dumaguete? O que se está a passar agora com a separação entre igreja e estado?”

Tradução de António Jorge

Fonte

  • Equipo de Comunicación Gran Logia de España – Grande Oriente Español

Artigos relacionados

Partilhe este Artigo:

One thought on “A Igreja Católica opõe-se à construção de um edifício doado pela Maçonaria nas Filipinas

  • Avatar

    Os desentendimentos são oriundos pela ganância de poder. Só isso.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *